A nossa Esperança alimenta-se da presença de Jesus, diz o Papa

| 2017-08-23
Papa Francisco

O Papa Francisco disse, hoje, na Audiência geral, desta quarta feira, na sala Paulo VI disse que “A nossa Esperança alimenta-se da presença de Jesus, que se faz nosso companheiro de caminho, como o sol ilumina o nosso horizonte, dando-nos a certeza de que a morte e o ódio não têm a última palavra”.

Portanto, salientou, numa referência às violências dos últimos dias, numa alusão aos atentados terroristas de Barcelona, que “o ódio e a morte não podem ter a última palavra”.

O Santo Padre deixou a certeza de que “no final, as nossas lágrimas não serão de tristeza, mas de felicidade, uma felicidade perfeita”.

Refletindo sobre as palavras do Livro do Apocalipse “Eis que faço novas todas as coisas”, o Papa recordou o quanto “a nossa Esperança Cristã é para nós uma fonte de contínua novidade”.

Mesmo perante as situações de tristeza e de infelicidade que a vida nos apresenta, Francisco salientou que “Deus apresenta-nos um horizonte luminoso porque temos um Pai cheio de ternura, que nos espera para nos consolar” e reforçou que, este Pai, “conhece os nossos sofrimentos, e quer enxugar as nossas lágrimas e por isso preparou-nos um futuro maravilhoso: habitar com Ele na Jerusalém celeste”.

Numa mensagem especialmente dirigida a todas as vítimas do terramoto de Ischia, que atingiu aquela região na última segunda feira, Francisco deixou a todas as pessoas atingidas a sua ‘proximidade afetuosa’. ‘Rezemos pelos mortos, pelos feridos, pelos seus familiares e todas as pessoas que perderam as suas casas’, completou.

O Papa aproveitou o momento para saudar todos os peregrinos de língua portuguesa presentes na audiência e pediu que se deixem guiar pela ternura divina para que possam transformar o mundo com a vossa fé. Deus vos abençoe.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter