Bombistas não são “mártires” , diz o Papa

| 2017-06-28

O Santo Padre afirmou que o martírio “não é o ideal supremo da vida cristã”

Papa Francisco

O Papa Francisco disse, hoje, na audiência geral, perante centenas de fiéis, na praça de São Pedro, no Vaticano, que não podemos chamar “mártires” aos bombistas suicidas porque isso causa “repugna aos cristãos”. E esclarece que nessa conduta “não se encontra a manifestação do amor a Deus e ao próximo que é próprio de uma testemunha de Cris

O Santo Padre afirmou que o martírio “não é o ideal supremo da vida cristã” porque acima dele “está a caridade, ou seja, o Amor a Deus e ao Próximo”. E avivou a memória dos presentes, aludindo às perseguições contra cristãos, por causa da sua fé”, e defendeu que “nunca se deve responder á violência com mais violência”. Até porque “o mal não se pode combater com o mal”.

Para Francisco a intervenção dos Cristãos na “sociedade” surge quase em contracorrente” porque eles seguem “a lógica da Esperança relatada no Evangelho, mas que é marcada pela pobreza, pelo amor e pela prudência”. E deixou a certeza, a todos quantos estavam, na praça de São Pedro que “A única força do cristão é o Evangelho”.

A terminar o Papa saudou os peregrinos dos países lusófonos e agradeceu-lhes o “afeto e as orações”. E ainda declarou que “À nossa Mãe comum, a Virgem maria confio as vossas vidas e famílias, para elas imploro a Graça de crescerem na intimidade com o seu divino Filho, fonte da verdadeira vida”

Também lembrou que, esta quinta feira, dia 29, vi celebrar a festa litúrgica que assinala “o martírio das duas colunas da igreja, os santos Pedro e Paulo”, juntamente com os novos arcebispos metropolitas de todo o mundo.

 

 

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter