Cardeal Piacenza diz que “propósito profético” de Fátima ainda não terminou

| 2017-09-13

"A Igreja está “jovem, forte, rica da fé de tantos filhos seus", disse o Cardeal Piacenza

Cardeal Mauro Piacenza

O Cardel Piacenza, Penitenciário-Mor do Supremo Tribunal da Penitenciária Apostólica disse, hoje, na Homilia da Missa da Vigília da Peregrinação Internacional Aniversária de Setembro, na Cova da Iria que o “propósito explicitamente profético” das Aparições de Fátima “ainda não terminou” e que mantém a sua excecionalidade e atualidade. O Cardeal ainda reforçou a ideia de que este “não é um lugar igual aos outros”.

E adiantou que “A Santíssima Virgem apareceu neste lugar não somente para exortar os homens à conversão e à oração, como sucedeu noutras aparições, mas com um propósito explicitamente profético, indicando aos homens acontecimentos do futuro, a fim de que eles possam lê-los prudentemente, prepararem-se, para reconhecê-los e converterem-se”.

O cardeal italiano falou da fé como a experiência de uma “presença verdadeira, objetiva, real e transformante”, que os videntes de Fátima viveram.

Para D. Mauro Piacenza Nossa Senhora deixou um mandato pendente neste lugar que é “sermos profecia para o mundo, mostrando agora e sempre Cristo, o Seu Corpo, aos irmãos, para que, conhecendo a Verdade, possam alcançar a salvação”.

O penitenciário-mor da Santa Sé alertou para as consequências de uma “recusa definitiva de Deus” e apresentou a oração como “um grande exorcismo sobre o mundo”. E afirmou que “Também neste sentido, Fátima, ainda não se completou, porque não se completou ainda a missão da Igreja, que permanecerá viva até ao fim dos séculos, em todas as circunstâncias históricas e apesar de todas as adversidades vindas da cultura e do poder”, acrescentou.

O Presidente Internacional da Fundação AIS ainda considerou que a Igreja está “jovem, forte, rica da fé de tantos filhos seus, adornada com todas as suas orações e obras de caridade, enriquecida por tantos sofrimentos escondidos e oferecidos, que realmente edificam o Reino de Deus, o único novo mundo a que podemos aspirar”.

“Caros Amigos, todos os inimigos da Igreja, todos quantos a perseguiram e combateram ao longo dos séculos, já passaram. A Igreja de Jesus ainda aqui está, como a Bem-aventurada Virgem Maria!” destacou referindo que o Reino de Deus “não é questão de comida nem bebida; não é questão de organizações ou estratégias, de tentativas de solução deste ou daquele problema, ainda que importantes e necessárias”.

Também salientou que “Apesar de tudo, mau grado os inimigos fora e dentro dela, a Igreja vive nas consciências dos homens, nelas progride, nelas dá fruto, e nelas acontece uma e outra vez para a salvação de cada um e da humanidade”. E concluiu lembrando que “o triunfo do Coração Imaculado de Maria é isto mesmo: o acontecer de Cristo nas consciências dos homens e na história do mundo; o acontecer de Cristo e, com Ele, d’Aquela Mãe que O gerou, oferecendo-O por nós e pela nossa salvação; o acontecer, antes de mais em nós, da salvação que nasce do encontro redentor com Cristo, e que, por isso, através de nós, leva à apresentação ao mundo do Senhor”.

A Fundação AIS realiza, nesta ocasião, a sua Peregrinação Internacional que assinala os 70 anos de existência da Fundação e 50 anos de consagração a Nossa Senhora de Fátima.

Esta quinta Peregrinação Internacional Aniversária está subordinada ao tema “Mãe da Igreja, rogai por nós”.

Junto do Serviço de Peregrinos do Santuário de Fátima fizeram-se anunciar 157 grupos provenientes de 35 países. Destaca-se uma peregrinação do Apostolado Mundial de Fátima da Republica Checa, acompanhada pelo Cardeal Dominik Duka, Presidente da Conferência Episcopal da República Checa, que no final da celebração de dia 13 de setembro irá receber solenemente uma Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que irá estar naquele país até dia 8 de outubro. O Cardeal fará ainda uma saudação, entregando ao Santuário de Fátima uma imagem do menino Jesus de Praga.

Estão presentes, nesta peregrinação, 340 sacerdotes, 18 bispos e dois cardeais.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter