Cardial Piacenza diz que “confessores não fazem barulho, mas milagres”

| 2017-12-07

O Cardeal Piacenza também frisa que no Sacramento “Cristo acompanha cada penitente à profundidade de seu pecado"

Cardinal Mauro Piacenza

Numa carta dirigida aos sacerdotes, por ocasião do Advento, o Cardeal Mauro Piacenza, Penitenciário Maior da Santa Sé exalta as bondades do Sacramento da Penitência e realça que este é um tempo “dedicado à preparação espiritual para comemorar o nascimento de Jesus Cristo e esperar o seu retorno glorioso.

E na carta recorda aos Confessores: “O vosso Ministério não faz barulho, mas milagres” e ainda destaca o facto de que “a Confissão não apenas perdoa os pecados, mas também os leva para o caminho da santidade” por isso “exige dos sacerdotes um ministério de guia, ensinamento e acompanhamento”.

O Penitenciário Maior, segundo o GAUDIUM PRESS recordou que o Advento assinala a essência do cristianismo: “a chegada de Deus a todas as pessoas e que abre o ministério da Igreja, a toda a Criação e ao dia Glorioso do Advento”.

O Cardeal Piacenza também frisa que no Sacramento “Cristo acompanha cada penitente à profundidade de seu pecado e derrota-o novamente com o poder de Sua Ressurreição para redimi-lo”.

E desta forma o penitente “reconhece a presença de Jesus no confessor e a sua parte de culpa nos sofrimentos da Cruz do Salvador”. Portanto avança que é uma “imensa Graça, para quem exerce com fidelidade o ministério da Reconciliação, de poder oferecer-se ao Deus-Homem pela salvação de cada irmão, inclinando-se ternamente sobre a pobreza humana”.

Por conseguinte e Penitenciário recordou que "o Sacramento da Penitência, não apenas apaga os pecados, mas deve colocar os penitentes no caminho da santidade, exercendo sobre eles de maneira apropriada, um verdadeiro ensinamento, um ministério de guia e acompanhamento".

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter