CEP alerta para “graves dificuldades” de instituições sociais e educativas

| 2017-11-17

D. Manuel Clemente deixou claro que “Há vários desrespeitos”.

Na Assembleia Plenária 193 da Conferência Episcopal Portuguesa, os bispos portugueses falaram das “graves dificuldades que afetam muitas instituições sociais e educativas, de reconhecido mérito”.

E por isso os bispos lembram o “princípio da subsidiariedade”, alertando que isso deve levar “o Estado a respeitá-las e apoiá-las, não criando concorrências desnecessárias e atendendo aos direitos dos seus profissionais e das famílias”.

D.  Manuel Clemente, Presidente da CEP, na conferência de imprensa, de  encerramento da Assembleia Plenária, esclareceu que em causa estão “colégios, escolas e outros estabelecimentos de cariz social”, que apareceram como “resultado de grande esforço” de pessoas ligadas à Igreja Católica e à sociedade em geral, várias delas “reconhecidas” pelo Estado como de “utilidade pública”.

Nesse sentido, os bispos dizem que não faz sentido abrir uma escola do Estado ao lado de uma que já está no local e que “reconhecidamente” desempenham bem as funções a que se destinam.

O cardeal-patriarca de Lisboa apelou a respeitar a “vitalidade” da sociedade, promovendo o que é “fruto de uma espontaneidade social”.

D. Manuel Clemente deixou claro que “Há vários desrespeitos”.

 

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter