Comissão Justiça e Paz rejeita “correntes hostis” contra migrantes

| 2017-12-29

Dia Mundial da Paz reflete sobre situação de Migrantes e refugiados

A Comissão Nacional Justiça e Paz, publicou uma nota, tendo por base o Dia Mundial da Paz assinalado, a 1 de Janeiro, onde rejeita as “correntes hostis” conta os migrantes e refugiados, ao mesmo tempo que alerta, para o aumento destas situações.

A Comissão lembra que “A Paz é o que buscam muitos dos migrantes e refugiados: os que fogem da guerra, mas também os que fogem da fome ou da opressão”.

E adianta que o próprio Papa Francisco está atento a esta questão para que seja possível contribuir “para a construção da paz e ajudar ao desenvolvimento quer dos países de origem dos migrantes, quer dos países de destino”.

“Acolher, proteger, promover e integrar: são os quatro verbos que devem inspirar as políticas dos governos e as ações das sociedades de acolhimento- já o disse o Papa Francisco em várias ocasiões”, acrescenta o organismo de leigos católicos, ligado à Conferência Episcopal Portuguesa.

O Papa decidiu colocar os milhões de migrantes e refugiados da atualidade no centro do próximo Dia Mundial da Paz, com que os católicos vão começar o ano de 2018.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter