Crianças iraquianas refugiadas em Erbil recebem presentes de Natal

| 2017-12-20

Estas crianças fazem parte dos cerca de 120 mil cristãos que foram forçados a fugir de suas casas, na Planície de Nínive

Foto: Fundação AIS

Dezenas de voluntários têm colaborado nos últimos dias com a Irmã Ni’am, da Congregação das Filhas de Maria, que está a organizar a entrega às crianças cristãs refugiadas em Erbil, no Curistão Iraquiano, de uma prenda neste Natal.

Ao todo, são cerca de 15 mil presentes que estão a ser embrulhados num armazém que mais parece uma “fábrica do Pai Natal”.

Esta iniciativa está a ser promovida com o apoio directo da Fundação AIS e permite que a cada criança, como explica a irmã Ni’am, seja entregue “um blusão, para ajudar a resistir a estes dias particularmente frios, chocolates e uma Bíblia ou outro livro espiritual, dependendo da idade da criança”.

A Irmã Ni’am, a coordenadora deste projecto, explica que um dos objectivos desta iniciativa é levar, a cada criança cristã que vive na região do Curdistão, portanto longe de casa, “a presença e o amor de Deus entre nós”.

Estas crianças fazem parte dos cerca de 120 mil cristãos que foram forçados a fugir de suas casas, na Planície de Nínive, no Verão de 2014, aquando da ofensiva jihadista que provocou a conquista de enormes parcelas do território iraquiano.

Os cerca de 15 mil presentes têm estado a ser distribuídos nos últimos dias em Qaraqosh, Karamless, Bartella e Bashiqua e também em Ankawa, o bairro cristão de Erbil.

Esta iniciativa, que resulta uma vez mais da generosidade dos benfeitores da Fundação AIS, vai ajudar a minimizar um pouco o sofrimento destas crianças que, nos últimos três anos, foram forçadas, assim como as suas famílias, a pernoitar, tantas vezes ao relento, ou em tendas, contentores ou em quartos alugados.

A violência que se abateu sobre estas crianças ajuda a compreender que, nas cartas que escreveram ao Pai Natal, tenham pedido, acima de tudo, a possibilidade de viverem em paz, de voltarem a casa, de frequentarem a escola e de poderem brincar.

O regresso a casa está já a ser uma realidade para centenas de famílias cristãs, em resultado da enorme campanha de reabilitação das aldeias na Planície de Nínive que a Fundação AIS, a par com outras instituições de solidariedade, está a promover a nível internacional.

Apesar do regresso estar já a acontecer, para a Irmã Ni’am, “este Natal será uma celebração alegre e dolorosa”. Alegre, explica, “por causa do regresso” de algumas famílias cristãs “às suas casas”, e doloroso “por causa do estado em que se encontram as aldeias, com casas e igrejas destruídas, queimadas e saqueadas, ruas abandonadas, serviços quase inexistentes, e por causa dos amigos que deixaram o país.”

(Departamento de Informação da Fundação AIS)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter