D. Manuel Linda diz que Advento representa compromisso

| 2017-12-15

Então o que se pode fazer para melhor este mundo?

D. Manuel Linda, bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança defende, na sua mensagem de Natal, que a festa do Natal é um convite a “tornar mais humano o mundo” e destaca várias áreas da sociedade que carecem de um maior “compromisso”.

Na mensagem publicada na página da Internet do Ordinariato Castrense o bispo alerta que neste tempo de Advento “de vinda de Jesus à história da Humanidade”, a Igreja não nos convida a olhar para o passado, mas a “descobrir, hoje, os sinais da presença do Filho de Deus. Chama-nos a confrontar este nosso tempo com a mentalidade que se vivia há dois mil anos, quando Ele nasceu. E que descobrimos? No domínio das tecnologias e do saber, uma alteração fulgurante. E no âmbito mais especificamente humano dos valores, da liberdade responsável, da fé como projecto de vida, da sociedade como família? Também aqui muito mudou, de facto. Mas não poderíamos estar bem melhor?” questiona o Bispo das Forças Armadas.

D. Manuel Linda realça que este tempo de Advento “é muito comprometedor para nós, os crentes, pois nos responsabiliza nesta tarefa de tornar mais humano o nosso mundo, de o fazermos mais habitável. O nosso mundo é uma espécie de um berço para todos os homens e mulheres. Entre todos está Jesus Cristo. E este berço é digno d’Ele? Se for digno d’Ele também o é para nós. Mas tenho medo que o não seja. Ou, pelo menos, poderia ser bem mais digno do que é.”, escreve o bispo.

Então o que se pode fazer para melhor este mundo? D. Manuel Linda escreve que “A nossa consciência fornece-nos a resposta”. E recorda que, presentemente, o projeto pastoral da igreja está focado nos jvens, devido ao sínodo dos bispos no próximo ano que irá refletir sobre “Os Jovens, a Fé e o Discernimento vocacional”. Portanto à igreja cabe a “tarefa de os animar na fé ou até de a transmitir àqueles que a não têm” refere o prelado. E esclarece que não podemos esquecer algumas carências que, por vezes, nos passam despercebidos, nomeadamente: “futuro incerto devido à precariedade do trabalho; dependências várias, particularmente dos jogos online; sedentarismo, com a consequente incapacidade de verdadeira relação; dificuldade de aguentar os níveis de stress, cada vez mais elevados nesta sociedade competitiva; maturidade emocional tardia, de forma que o amor é mais intenso que duradouro; divertimento associado a excentricidades; atracção geral pelo risco e pelo radical”.

Por conseguinte, D. Manuel Linda apela aos pais para que de forma especial, acautelem o “futuro dos filhos e se aproximem mais deles”.

O Bispo das Forças Armadas termina a mensagem deixando o desejo de que este Advento e Natal não reduza “a aspectos meramente evocativos ou folclóricos. Mas que a ‘espera’ consistente que o salvador nos comprometa com a instauração do Reino de Deus e nos leve a balbuciar a prece activa: “Vinde, Senhor Jesus”.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter