D. Rino Fisichella diz que “Nossa Senhora está impressa no Coração de cada português”

| 2017-08-13

Estão inscritos nesta peregrinação 158 grupos, num total de 13.912 peregrinos.

Santuário de Fátima (Foto: Centro Comunicação Santuário Fátima)

O Presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, D. Rino Fisichella que está a presidir à peregrinação internacional aniversaria de Agosto disse, na Homilia, da Missa de Vigília, no Recinto do Santuário de Fátima que “Nossa Senhora está impressa no coração de cada português”. E por isso, realçou que a devoção a Nossa Senhora de Fátima pertence à identidade do Povo Português. 

Tendo por base que esta é também a Peregrinação dos Migrantes e Refugiados, o prelado que tutela os Santuários, desde abril, por nomeação do Papa Francisco, referiu a importância da peregrinação ao Santuário.
Deixando claro que “Estes dias são dedicados em particular áqueles que, em anos passados, deixaram família, casa, a sua cidade e Portugal, para ir procurar trabalho noutros países”. E acrescentou que “Muitas pessoas que estão entre nós conheceram a fadiga e o sofrimento de aprender outra língua, de viver longe dos afetos, de encontrar tradições diferentes” acrescentou ainda.
Por isso, “este momento do ano é dedicado ao regresso a casa, falando de novo a própria língua, reaprendendo as tradições que marcaram a nossa história e o nosso modo de viver. Voltar a casa significa também fazermo-nos peregrinos à capelinha onde a Mãe de Deus nos acolhe e nos sentimos protegidos”, afirmou.
D. Rino também deixou a certeza aos milhares de fiéis de que perante o sofrimento e a “ladainha da dor” que “não pára de aumentar” o “olhar único e forte da Mãe” é “a única certeza” e todos os cristãos “devem pedir-Lhe ajuda”.
Por isso desafiou os presentes para “Rezarmos esta noite, juntos como uma família, e voltarmos às nossas casas para recomeç̧armos a rezar juntos como uma verdadeira família”. “Muitas vezes esquecemo-nos disto e perdemos algo de grande valor”, precisou D. Rino Fisichella, referiu.
Para logo de seguida lembrar que “nascemos numa família cristã, pertencemos a uma família ainda maior que é a Igreja”, por isso “não podemos fazer da oração um ato privado. Esta noite torna-se para cada um de nós um momento particular de encontro com o Senhor, porque estamos a rezar-Lhe unidos à sua Mãe”.
E acrescentou: “descobrimos que aqui, neste lugar, jorra uma nascente inextinguível de graça que pode colmatar a nossa sede, sem que nunca nos sintamos saciados. Nesta capelinha está a nascente da graça: se tivermos fé, podemos vê̂-la; se tivermos esperança, podemos beber da água que escorre em direção a nós; se tivermos amor e caridade, podemos levar connosco os frutos da graça que aqui são semeados”, concluiu.
E lembrou que “A nossa oração desta noite é amparada pela oração de Maria, que se une a nós, dando-nos força para crescer na fé, esperança para encarar o futuro com serenidade e paixão para testemunhar a caridade fraterna”, disse ainda.
Estão inscritos nesta peregrinação 158 grupos, num total de 13.912 peregrinos.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter