Novena com pregação em honra da Senhora dos Remédios

| 2017-09-07

Uma novena com pregação

Nossa Senhora dos Remédios

Esta sexta feira, 8 de setembro, Lamego prepara-se para viver as festas anuais em Honra de Nossa Senhora dos Remédios.

O padre João António Teixeira, em declarações à Agência Ecclesia, afirma que “A vida das pessoas está polarizada à volta destas festas que são muito antigas, genuínas, profundas, intensas, mesmo quando eram, como até ao final do século XIX, às 05h00 da manhã e as pessoas organizavam a sua vida para participar”. E adianta que no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios há a “preocupação” que as pessoas acertem “a romaria pela hora da liturgia”.

Festas que têm o seu ponto alto com a “Novena e pregação” e por isso o prelado explica que, nesta altura das festas, que começaram a 30 de agosto, “há uma concentração muito maior de pessoas” e a “vivência da Fé torna-se mais genuína”.

Por isso, mesmo durante nove dias o povo prepara-se para a festa, com os fiéis e peregrinos a rezarem o Terço e a participarem na Eucaristia, ouvindo depois a pregação que é uma “formação mais intensa”, onde em cada ano é escolhido um tema no contexto do plano pastoral diocesano.

Segundo o padre João António Teixeira foi devido “à novena que se começaram a realizar as festas”.

Do programa deste dia de Solenidade de Nossa Senhora dos Remédios o destaque vai para a procissão que terá lugar, pelas 16h00, junto à Igreja das Chagas, e que tem a característica “muito rara, muito singular em que os andores são puxados por juntas de bois”.

O santuário é o “corolário” de um percurso que começou no século XIV, com a capela de Santo Estevão, e a atual igreja conjuga “exuberância com sobriedade” com destaque para o altar-mor, pela imponência artística da escola de Tibães (Braga), com a imagem de Nossa Senhora do Leite.

Nas paredes os painéis de azulejo, do início do século XX, retratam traços da vida de Nossa Senhora, “desde o nascimento até à morte”, com “figurações muito originais” do nascimento de Jesus e têm “magníficos vitrais” que incluem a “coroação de Nossa Senhora com mãe da Igreja”.

A igreja tem também em exposição permanente um presépio da escola de Machado de Castro e dois púlpitos, “ricamente ornamentados, de onde se faziam as pregações na novena e anunciavam as novas mesas das irmandades”.

(Com Agência Ecclesia)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter