Papa admite temer guerra nuclear

| 2018-01-15

A oferta do Papa foi explicada pelo próprio: “É uma imagem que comove mais do que mil palavras”.

DOC.20180115.23531103.06440397-1

O Papa Francisco admitiu hoje, temer uma guerra nuclear, ao falar com os jornalistas, no início da sua viagem ao Chile e Peru, que teve início, esta manhã, em Roma.

“Este perigo existe realmente e eu tenho medo disso, basta um incidente. A partir daí, a situação pode precipitar-se; é preciso eliminar as armas nucleares, trabalhar pelo desarmamento”, acrescentou.

Os jornalistas que acompanham Francisco receberam do porta-voz do Vaticano, Greg Burke, uma pagela com o título ‘O fruto da guerra’, legendando a foto de uma criança japonesa que carrega o seu irmão morto no bombardeamento atómico de Nagasáqui.

A oferta do Papa foi explicada pelo próprio: “É uma imagem que comove mais do que mil palavras”.

O pontífice agradeceu aos jornalistas pelo seu trabalho e evocou os “muitos amigos” do Chile, onde estudou durante um ano.

Francisco iniciou hoje, cerca das 8h55 de Roma (menos uma em Lisboa), a 22 ª viagem internacional do pontificado, com passagens por seis cidades do Chile e Peru, num percurso total de mais de 30 mil quilómetros.

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter