Papa alerta para “estrelas cadentes” do dinheiro e do sucesso

| 2018-01-06

Missa do Dia da Epifânia

O Papa Francisco presidiu, hoje, na Basílica de São Pedro, no Vaticano, à Missa do Dia de Reis e alertou para as “estrelas cadentes” do dinheiro e do sucesso que tanto enganam o ser humano.

“Há estrelas deslumbrantes, que suscitam emoções fortes mas não indicam o caminho. Tal é o sucesso, o dinheiro, a carreira, as honras, os prazeres procurados como objetivo da existência. Não passam de meteoritos: brilham por um pouco, mas depressa caem e o seu esplendor desaparece. São estrelas cadentes, que, em vez de orientar, despistam”, disse na Homilia da Solenidade da Epifania do Natal.

E olhando à liturgia da Epifania, o Papa referiu que as três figuras que hoje são apresentadas como exemplo aos católicos de todo o mundo, mostram a necessidade de “olhar para o Céu”.

“Na vida, muitas vezes, contentamo-nos com olhar para a terra: basta a saúde, algum dinheiro e um pouco de divertimento. E pergunto-me: Sabemos nós ainda levantar os olhos para o céu? Sabemos sonhar, anelar por Deus, esperar a sua novidade, ou deixamo-nos levar pela vida como um ramo seco pelo vento?”, questionou Francisco.

Por isso, o Santo Padre afirmou que os Magos mostram que é preciso “manter alto o olhar” para se chegar a Jesus cuja estrela “nem sempre é fulgurante, mas está sempre presente”. E sublinhou que “Jesus deixa-se encontrar por quem O busca, mas, para O buscar, é preciso mover-se, sair. Não ficar à espera; arriscar. Não ficar parados; avançar”.

Por fim, o Papa disse que a decisão de seguir Jesus “não é um polido protocolo, mas um êxodo a viver”. Portanto, “Para encontrar Jesus, é preciso perder o medo de ir a jogo, a satisfação do caminho andado, a preguiça de não pedir mais nada à vida”.

Numa alusão aos presentes oferecidos pelos Reis Magos, ao Menino Jesus, o Papa Francisco explicou que presentes, devemos, nós hoje, oferecer: “Cuidar dum doente, dedicar tempo a uma pessoa difícil, ajudar alguém que não nos inspira, oferecer o perdão a quem nos ofendeu”.

E ainda esclareceu que: “Dar gratuitamente, por amor do Senhor, sem esperar nada em troca: isto é sinal certo de ter encontrado Jesus”.

Antes da homilia, seguindo a tradição, foi anunciada a data da Páscoa deste ano (1 de abril) e as festas litúrgicas que lhe estão associadas, em datas móveis.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter