Papa almoça com 1500 pessoas carenciadas

| 2017-11-15

Papa celebra missa para quatro mil pobres

Para marcar o primeiro Dia Mundial dos Pobres, assinalado a 19 de novembro, o Papa Francisco vai almoçar com um grupo de 1500 pessoas onde estão integradas pessoas necessitadas e voluntariados.

A Santa Sé informa que a refeição, terá lugar, na Sala Paulo VI, após a celebração da Missa, pelas 10h00, na Basílica de São Pedro, e da recitação do ângelus. Uma celebração que deverá contar com a participação de quatro mil pessoas pobres de Roma e de outras dioceses do mundo, numa iniciativa do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização.O almoço que se segue vai ser animado pela Banda da Gendarmaria Vaticana e um coro infantil.

As 2500 pessoas que não almoçam na sala Paulo VI vão ser acolhidas por refeitórios sociais, seminários e colégios da Igreja Católica na capital italiana para uma “almoço festivo”.

A refeição com o Papa vai ser servida por 40 diáconos da Diocese de Roma e 150 voluntários de outras dioceses.

Desde segunda-feira, o Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização oferece na Praça Pio XII consultas médicas gratuitas em várias especialidades com ajuda de várias instituições do setor.

A criação do Dia Mundial dos Pobres foi decisão anunciada por Francisco na conclusão do Jubileu da Misericórdia (dezembro 2015-novembro 2016).

O Papa explicou na altura que vê nesta nova celebração a “mais digna preparação para bem viver a solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo”, que encerra o ano litúrgico na Igreja Católica, evocando a sua identificação com os “mais pequenos e os pobres”.

Na sua mensagem para a celebração de 2017, Francisco criticou a “riqueza descarada” de uma minoria de “privilegiados” que agrava os níveis de pobreza, a nível mundial.

A figura escolhida como “testemunha da pobreza genuína” é São Francisco de Assis, que fundou a Ordem dos Frades Menores (franciscanos) em 1209. 

(Com Agência Ecclesia)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter