Papa aprova decreto das “Virtudes heroicas” de João Paulo I

| 2017-11-09

Foi o primeiro pontífice, desde Clemente V, a recusar uma coroação formal, e não quis ser carregado na cadeira gestatória.

João Paulo I

O Papa Francisco aprovou o decreto que reconhece as “Virtudes heroicas” de João Paulo I, que faleceu a 28 de setembro de 1978, quando tinha sido eleito, há apenas 33 dias. Foi encontrado morto no seu quarto.

O documento foi publicado após a audiência realizada, na quarta feira, entre o Papa Francisco e o prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, cardeal Angelo Amato.

Este reconhecimento das “Virtudes Heroicas” é uma fase central do processo eu leva à proclamação de um fiel católico como beato, penúltima etapa para a declaração da santidade.

Agora é necessária a aprovação do Milagre para que seja possível a proclamação de João Paulo I como beato.

Albino Luciani que assumiu o nome de João Paulo I, nasceu em Caanale d’Agordo, diocese de Belluno, no Véneto, a 17 de outubro de 1912. Era patriarca de Veneza quando foi eleito Papa 26 de agosto de 1978 e ficou reconhecido como o "Papa do Sorriso".

Foi o primeiro pontífice, desde Clemente V, a recusar uma coroação formal, e não quis ser carregado na cadeira gestatória.

A jornalista Stefania Falasca, vice-postuladora da causa de canonização de João Paulo I, lançou esta terça-feira um novo livro sobre o Papa italiano, que desmonta “teorias da conspiração” sobre a sua morte.

O secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, fala da obra como uma reconstrução efetuada com “uma pesquisa histórica rigorosa, com base numa documentação de exceção, até agora inédita”.

Stefania Falasca, autora do livro, disse à Rádio Vaticano que procurou reconstruir “os últimos instantes da morte do Papa” italiano, com testemunhos e documentação médica, tendo chegado à certeza de que João Paulo I “morreu por causa de um acidente isquémico que provocou um enfarte”.

 

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter