Papa clarifica responsabilidade na tradução de textos litúrgicos

| 2017-10-24

Francisco ainda esclarece que a confirmação das traduções deixou de implicar “um exame detalhado palavra, por palavra” da Congregação para o Culto Divino

O Papa Francisco escreveu ao Cardeal Robert Sarah, perfeito da Congregação para o Culto Divino, da Santa Sé, para esclarecer as responsabilidades existentes na tradução de textos litúrgicos e dos textos bíblicos.

No Documento que foi divulgado pela Rádio Vaticano, o Papa diz que há uma “clara diferença” entre o termo ‘recognitio’, ou seja, Verificação e o termo ‘confirmatio’, ou seja, Confirmação, e esclarece que está bem explicito no novo enquadramento canónico que Ele próprio estabeleceu.

Assim esclarece que em causa, está a responsabilidade das Conferências Episcopais de traduzir ‘fidelitur’, ou seja, fielmente, quando lhes compete “julgar a bondade e a coerência de uma ou outra expressão nas traduções do original, ainda que em diálogo com a Santa Sé”.

Francisco ainda esclarece que a confirmação das traduções deixou de implicar “um exame detalhado palavra, por palavra” da Congregação para o Culto Divino, excepto “nos casos evidentes que podem ser apresentados aos bispos, para uma posterior reflexão”.

Assim sendo, “O processo de traduzir os textos litúrgicos relevantes numa língua - da qual são consideradas traduções autênticas - não deveria levar a um espírito de ‘imposição’ às Conferências Episcopais de uma dada tradução feita pelo dicastério, porque isto comprometeria o direito dos bispos", acrescenta o Papa.

A carta surge em resposta a um texto do cardeal Robert Sarah que tinha sido publicado em vários sites, no qual se sustentava a autoridade da Santa Sé sobre o trabalho das conferências episcopais, nestes campos.

(Com Agência Ecclesia) 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter