Papa convida cristãos à transfiguração para o “serviço ao outro”

| 2017-08-06

Papa não esquece as vitimas da "prepotência" e da "Violência"

Papa Francisco

Tendo por base a liturgia da Festa da Transfiguração do Senhor testemunhada pelos apóstolos, Pedro, Tiago e João o Papa Francisco apelou, este domingo, na Oração do Angelus, para que os cristãos sigam esse caminho da “transfiguração que nos leva à mais vivida redescoberta de que Jesus não é um fim em si”, mas que nos permite “recarregar a força do espírito divino celestial que nos ajuda a decidir novas medidas de conversão que nos mostram consistentemente o amor, como a lei da vida diária”.

Por isso, o Papa apelou a que não esqueçamos “aqueles que sofrem, os que vivem na solidão e no abandono, os doentes e a multidão de homens e mulheres que, em diferentes partes do mundo, são humilhados pela injustiça, arrogância e violência”.

O Santo Padre adianta que a liturgia da Transfiguração do Senhora dá-nos uma mensagem de “esperança que nos convida a encontrar Jesus para estar ao serviço dos nossos irmãos”. Até porque esta ida “ao Monte” faz-nos refletir sobre “a importância de rompermos com as coisas do mundo e fazermos um caminho cuidadoso e orante ao encontro de Cristo”. Pois desta forma “buscamos momentos de oração que nos permitem o acolhimento dócil e alegre da Palavra de Deus”. E adianta Francisco que “nesta ascensão espiritual, com o desprendimento das coisas terrenas, somos chamados a redescobrir o silêncio calmante e regenerador da meditação do evangelho, a leitura da Bíblia, levando a um destino rico para a beleza, esplendor e alegria”.

Assim sendo, o Papa lembra que este período de férias é o ideal para fazer este caminho, porque todos estão mais livres dos seus afazeres diários.

O Santo Padre lembrou que na Transfiguração ouvimos a voz do Pai Celeste que diz: “este é o meu filho amado. Escutai-o!” e avança que também nós podemos olhar para Maria que é “a Virgem da escuta, que está sempre pronta a acolher e valorizar nos nossos corações cada palavra do divino filho.” E refere que “Queremos que a nossa Mãe e Mãe de Deus nos ajude a entrar em sintonia com a Palavra de Deus para que Cristo se torne na Luz e Guia de toda a Nossa Vida”. E concluiu dizendo que à Virgem Mãe “confiamos as férias de todos para que sejam serenas e rentáveis e principalmente as férias daqueles que por motivos de saúde, trabalho, ou económicos não tiram férias para que encontrem, ainda assim, um momento relaxante, onde são acolhidos por amigos e possam viver momentos felizes”.

Depois da Oração do Angelus o Papa Francisco dirigiu-se às centenas de fiéis para os saudar com muito carinho, em especial, o grupo do ministério de jovens Verona. 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter