Papa defende ação de caridade que transforme a realidade

| 2017-09-27

O Papa desafia os membros da família vicentina a chegar às “periferias da condição humana”

Foto: Agência Ecclesia

O Papa Francisco publicou, esta quarta feira, uma mensagem em que se associa à celebração dos 400 anos dos Vicentinos e defendeu uma ação de caridade que seja capaz de “transformar o presente”.

E sublinhou, na mensagem divulgada pela Sala de Imprensa da Santa Sé, que “Isto é ainda mais necessário hoje, na complexidade em mudança da sociedade globalizada, onde certas formas de esmola e de ajuda, ainda que motivadas generosas intenções, se arriscam a alimentar formas de exploração e de ilegalidade, sem trazer benefícios reais e duradouras”.

O texto sublinha a “atualidade” do carisma de São Vicente de Paulo (1581-1660), que procurou Jesus “na pessoa dos pobres”.

O Papa realçou o compromisso dos Vicentinos nas chamadas missões populares e na formação dos sacerdotes, com acento na “simplicidade”.

“Desejo que este ano de agradecimento ao Senhor e de aprofundamento do carisma seja ocasião para matar a sede na fonte, para refrescar-se na nascente do espírito originário”, escreve.

O Papa desafia os membros da família vicentina a chegar às “periferias da condição humana”.

“Jesus é pobre, pede para ser reconhecido em quem é pobre e não tem voz, porque Ele está ali”, assinala.

A mensagem convida religiosos e leigos a “dar voz aos pobres”, para que a sua presença não seja “silenciada pela cultura do efémero”, projetando já a celebração do primeiro Dia Mundial dos Pobres, na Igreja Católica, a 19 de novembro.

A Congregação da Missão, dos padres Vicentinos, celebra 300 anos de presença em Portugal a 9 de novembro de 2017.

A 190.ª assembleia plenária da Conferência Episcopal Portuguesa, em novembro de 2016, publicou uma nota pastoral de reconhecimento aos 400 anos do legado de São Vicente Paulo e os três séculos da sua presença em Portugal.

(Com Agência Ecclesia)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter