Papa desafia cristãos a perdoar sempre

| 2017-09-17

Francisco ainda salientou que o perdão não nega o mal sofrido

O Papa Francisco, na oração do Angelus, deste domingo, desafiou os cristãos a perdoarem sempre e sublinhou a importância de viver e transmitir «paz e liberdade interior».

E explicou, perante milhares de pessoas que, “Todos os que experimentaram a alegria, a paz e a liberdade interior que vem do ser perdoado podem abrir-se à possibilidade de perdoar à sua volta”.

Francisco ainda salientou que o perdão não nega o mal sofrido, mas reconhece que “o ser humano, criado à imagem de Deus, é sempre maior do que o mal que comete”.

A passagem do Evangelho lida hoje nas igrejas de todo o mundo contém um apelo de Jesus a perdoar “setenta vezes sete” vezes.

Por isso, destacou a “incoerência” de quem se recusa a perdoar o outro contrariando a imagem de um Deus que ama com “um amor rico de misericórdia” e que perdoa “continuamente”, ao “menor sinal de arrependimento”.

E por isso pediu: “Que a Virgem Maria nos ajude a ter cada vez mais consciência da gratuidade e da grandeza do perdão recebido de Deus, para nos tornarmos misericordiosos como Ele, Pai bom, lento na ira e grande no amor”.

Após a oração do Angelus saudou os vários grupos de peregrinos com destaque para os participantes na corrida ‘Via Pacis’ (caminho da paz), que passou por vários locais de culto das várias confissões religiosas presentes em Roma.

“Desejo que esta iniciativa cultural e desportiva possa favorecer o diálogo, a convivência e a paz”, declarou Francisco.

A corrida contou com o apoio do Conselho Pontifício para o Diálogo Inter-religioso, dando um colorido diferente à Praça de São Pedro e à área em volta.

Como habitualmente, o Papa despediu-se com votos de “bom domingo” e “bom almoço”, pedindo orações por si.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter