Papa desafia jovens a sonharem com Deus um mundo diferente

| 2017-08-30

O Encontro com Jesus é a Alegria do Cristão

Papa Francisco

O Papa Francisco, na audiência geral desta quarta feira, falou sobre a importância da vocação e deixou uma interpelação aos jovens, ao afirmar que “Os jovens que não buscam nada, não são jovens, estão como que reformados, envelhecidos antes do tempo. E é triste ver jovens reformados”. Por isso, convidou os mais novos presentes, na Praça de São Pedro, a deixarem que Cristo, à semelhança do que fez com os discípulos, ‘incendeie’ os seus corações.

O Santo Padre ainda questionou os jovens “O que procuram? O que busca o vosso coração?” para se seguida desafia-los a não seguirem uma sociedade que se mostra “desapontada e infeliz”, ou aqueles, que “cinicamente dizem para abandonar toda a esperança”.

“Não escutem aqueles que matam à nascença qualquer entusiasmo, ao dizerem que nenhum objetivo vale o sacrifício de uma vida. Não deem ouvidos aos velhos de coração, que sufocam toda e qualquer euforia juvenil”, alertou Francisco.

O Sumo Pontífice, sobre a descoberta de uma vocação para “o casamento, a vida consagrada, o sacerdócio”, pode acontecer “de muitas maneiras”.

Mas “segundo o Evangelho”, o primeiro passo é o “encontro com Jesus que dá a cada um a alegria e uma nova esperança”.

É nessa descoberta de um sentido para a vida que está o mapa para a “verdadeira vocação”, porque sem um rumo definido, sem um objetivo, não há futuro, não há caminho.

“Um discípulo do Reino de Deus que não esteja alegre não evangeliza o mundo, é um triste” e “Deus não quer homens e mulheres que caminhem com Ele cheios de incerteza, sem terem no coração o vento da alegria”, apontou Francisco, que mais uma vez interpelou os mais novos:

“E vocês, têm no vosso coração este vento da alegria? Que cada um responda”, incentivou.

Na Praça de São Pedro, o Papa deixou também uma mensagem a toda a Igreja Católica, salientando que a vocação de um verdadeiro cristão é visível “não através da arma da retórica, de palavras e mais palavras”, mas através “da alegria da fé que transborda dos seus olhos”.

E pediu a todas as comunidades cristãs, a todas as pessoas, novas e menos novas, que sejam capazes de “sonhar” com Deus “um mundo diferente”.

“E se esse sonho não vingar, tornem a sonhá-lo de novo”, sempre com a força da “esperança” que vem da memória daquele “primeiro encontro com Jesus”, concluiu.

(Com Agência Ecclesia) 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter