Papa diz que corrupção é um “vírus social” na América Latina

| 2018-01-20

Todos somos chamados a lutar contra a corrupção

O Papa Francisco no discurso que fez às autoridades peruanas disse que a corrupção é um “vírus Social” que de forma subtil degrada o meio ambiente e contamina progressivamente tudo à sua volta.

E avançou que este “que os mais prejudicados são os pobres e  mãe-terra”. Portanto, “tudo o que se puder fazer para combater este flagelo merece a maior das considerações e cooperações” e alertou: “Esta luta pertence-nos a todos”.

Porém, esta união pela esperança implica a haja uma “maior cultura da transparência entre as entidades públicas, setor privado e sociedade civil”.

O Lema da viagem do Papa Francisco ao Peru é “Unidos pela Esperança” e esse foi também o mote do discurso do Santo Padre, no Palácio do Governo de Lima, perante as autoridades.

Neste primeiro dia de visita o Papa salientou que é importante “Olhar a Terra porque por si só é motivo de esperança. Vocês possuem uma pluralidade cultural muito rica e cada vez mais interativa que constitui a alma deste povo”.

Porém, deixou claro que o outro motivo de esperança são os jovens referindo que “são o presente mais vital que a sociedade possui e o rosto de santidade do país”. Para de seguida mencionar os Santos Peruanos que abriram caminhos de Fé para todo o Continente americano, como é exemplo o santo Martinho de Porres.

Contudo, o Santo Padre salientou que sobre esta esperança paira uma ameaça: O despojamento da terra dos recursos naturais, sem os quais nenhuma forma de vida é possível.

Assim sendo, “unidos para defender a esperança significa fomentar e desenvolver uma ecologia integral. E isto exige escutar, reconhecer e respeitar as pessoas e os povos locais como válidos interlocutores”, referiu o Papa.

Para Francisco, a degradação do meio ambiente está intimamente ligada à degradação moral das comunidades. “Não podemos concebê-las como duas questões separadas.”

O Papa citou como exemplo as extrações mineiras irregulares  e a devastação de florestas e rios com toda a sua riqueza. Como consequência, há o tráfico de seres humanos – nova forma de escravatura –, trabalho irregular e delinquência.

O Papa concluiu seu discurso exortando os que ocupam cargos de responsabilidade a trabalharem para que o Peru seja um espaço de esperança e oportunidades não só para poucos, mas para todos.

Neste esforço, Francisco renovou o compromisso da Igreja Católica, que acompanhou e acompanha a nação peruana para que continue a ser uma terra de esperança.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter