Papa diz que é importante reconhecer os pecados

| 2018-01-03

A intervenção do pontífice destacou a dimensão comunitária do pecado, que afasta de Deus e “divide” os irmãos na fé.

Foto: Lusa

Na primeira audiência, deste ano de 2018, o Papa Francisco retomou o ciclo de catequeses sobre a Missa, e falou do “Ato penitencial” e da importância de reconhecer que somos pecadores. E por isso, disse que os católicos devem reconhecer-se com pecadores que precisam da “misericórdia de Deus”.

O Papa Francisco, perante milhares de pessoas, no auditório Paulo VI, não poupou em palavras e questionou: “O que é que pode dar ao Senhor quem já tem um coração cheio de si, do seu próprio sucesso?” para logo de seguida responder: “Nada porque o presunçoso é incapaz de receber perdão”.

Francisco falou do pecado por “omissão” e realçou que “não basta, não fazer mal ao próximo”, mas acima de tudo é preciso “fazer o bem”.

A intervenção do pontífice destacou a dimensão comunitária do pecado, que afasta de Deus e “divide” os irmãos na fé.

Num momento improvisado do seu discurso, Francisco recordou uma história contada por um missionário sobre uma mulher que se foi confessar e falou dos pecados do seu marido, de outros familiares e vizinhos.

O Papa realçou depois que a Confissão é um momento para falar dos “próprios” pecados. E adiantou que “custa admitir que somos culpados, mas vai fazer-nos bem confessá-lo com sinceridade” portanto, convidou todos a “invocar a misericórdia divina que transforma e converte”.

O Papa ainda saudou os peregrinos de língua portuguesa e deixou votos para 2018: “Que resplandeça sempre, nos vossos corações, famílias e comunidades, a luz do Salvador, que nos revela o rosto terno e misericordioso do Pai do Céu. Abracemos o Deus Menino, colocando-nos ao seu serviço, Ele é fonte de amor e serenidade. Que Ele vos abençoe com um Ano Novo sereno e feliz!”.

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter