Papa elege falsas noticias como tema do Dia Mundial das Comunicações Sociais

| 2017-09-30

Assinalado a 13 de maio de 2018

Papa Francisco

“A Verdade vos tornará livres. Notícias falsas e jornalismo de Paz” é o tema proposto pelo Papa Francisco para o 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais de 2018 que se assinalará a 13 de maio.

Em comunicado a Secretaria para a Comunicação do Vaticano adianta que  “a difusão de notícias falsas alimenta uma “forte polarização” da opinião pública e aponta o dedo à “distorção instrumental dos factos”.

“Num contexto em que as empresas de referência da social web e o mundo das instituições e da política começaram a enfrentar este fenómeno, também a Igreja quer oferecer um contributo, propondo uma reflexão sobre as causas, as lógicas e as consequências da desinformação nos media”, assinala o organismo da Santa Sé.

D. João Lavrador, presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais referiu à Agência Ecclesia que esta é uma “realidade premente” e acrescenta que "Estamos numa cultura de opinião, de descarte e a Igreja tem obrigação de reconhecer que há uma verdade a alcançar”.

O responsável considera que “unir a verdade com uma comunidade verdadeiramente honesta, séria”, em sentido de verdadeiro jornalismo e “conjugar com a paz” “é fundamental”.

“É esse conjunto que nos pode levar para uma comunicação ao serviço do ser humano e para a valorização do ser humano”, acrescentou. D. João Lavrador.

O bispo de Angra observa que “é um perigo” a comunicação social ser levada para a notícia falsa e “não para a verdadeira notícia”.

“A opinião pessoal embora tenha valor, mas se não é bem enquadrada pode levar para desvirtuar o que é o sentido da realidade ou o sentido da verdade e podemos entrar na falsidade”, desenvolveu o presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais.

 

Já D. Nuno Brás, vogal da referida comissão, considera que o tema “é importante” e recorda, que como foi referido nas jornadas, “notícias falsas sempre existiram”, e “não é propriamente um drama e invenção das redes sociais”.

O membro da Secretaria para a Comunicação da Santa Sé realça que a verdade está, “obviamente, relacionada com a paz”.

“A verdade traz como consequência a paz; sermos buscadores da verdade e sujeitarmos aquilo que somos é uma obediência à verdade traz consigo, não querermos impor aos outros mas estarmos todos à procura”, desenvolveu o bispo auxiliar de Lisboa.

O Dia Mundial das Comunicações Sociais foi estabelecido pelo Concílio Vaticano II, ‘Inter Mirifica’, em 1963; assinala-se no domingo antes do Pentecostes (13 de maio em 2018).

A mensagem do Papa é tradicionalmente publicada na véspera da festa litúrgica de São Francisco de Sales, padroeiro dos jornalistas, no dia 24 de janeiro.

Esta manhã, Francisco recebeu os membros do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização, falando da mudança cultural provocada pelas tecnologias da comunicação, que colocou em evidência “a falta de uma verdadeira relação interpessoal e interesse pelo outro”.

“É importante, por isso, que saibamos penetrar no coração da nossa gente, para descobrir o sentido de Deus e do seu amor que oferece a confiança e a esperança de olhar em frente com serenidade”, declarou.

(Com Agência Ecclesia)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter