O Cristão tem que ter os olhos no Céu

| 2017-05-28

No Dia Mundial das Comunicações o Papa apela às boas notícias

Praça São Pedro (Foto: Rádio Vaticano)

Os Cristãos têm que ter os olhos no céu e os pés no mundo, referiu hoje, na Oração do Regina Coeli, o Papa Francisco, perante os milhares de peregrinos que estavam na Praça de São Pedro, em Roma. 

O Santo Padre lembrou, neste domingo, a Ascensão de Jesus ao Céu, 40 dias após a Páscoa. E ao descrever a cena bíblica referiu que “os discípulos ao ver Jesus prostram-se perante Ele, embora alguns tivessem ainda dúvidas”, e acrescentou que “É a essa comunidade temerosa que Jesus deixa a imensa tarefa de evangelizar o mundo; e concretiza este encargo com a ordem de ensinar e baptizar em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo”.
Para de seguida explicar que a Ascensão de Jesus ao Céu é “o fim da missão que o Filho recebera do Pai e o início da continuação dessa missão pela Igreja. A partir desse momento a missão de Jesus na terra é mediada por aqueles que acreditam n’Ele e O anunciam aos outros. É uma missão que durará até ao fim dos tempos como disse o próprio Jesus”.
Por isso, a Ascensão recorda-nos a “esta assistência de Jesus e do seu Espírito que dão confiança e segurança ao nosso testemunho cristão no mundo. E revela-nos o porquê de existir a Igreja: para anunciar o Evangelho. Anunciar a Alegria da Igreja que é o Evangelho!” adianta o Papa.
O Sumo Pontífice também afirmou que “A Igreja somos todos nós batizados” e por isso hoje “ somos convidados a compreender melhor que Deus nos deu a grande dignidade e responsabilidade de O anunciar ao mundo, de O tornar acessível à humanidade. Esta é a nossa dignidade, este é a maior honra de cada um de nós baptizados!” Portanto, lançou o convite para “reforçarmos com os olhos elevados para o Céu, nesta Festa da Ascensão, os nossos passos na terra para continuar com entusiasmo e coragem o nosso caminho, a nossa missão de dar testemunho e de viver o Evangelho no nosso meio ambiente”. Advertiu, porém, para termos a consciência de que tudo isso não depende em primeiro lugar das nossas forças, capacidade organizativa e recursos humanos, mas sim da luz do Espirito Santo…” e especifica que “Somente com a luz e a força do Espirito Santo é que podemos desempenhar eficazmente a nossa missão de dar a conhecer e fazer experimentar cada vez mais aos outros o amor e a ternura de Deus.”
O Papa Francisco terminou pedindo a Nossa Senhora para nos ajudar “a contemplar os bens do Céu que o Senhor nos promete e a tornarmo-nos testemunhos cada vez mais credíveis da sua Ressureição, da verdadeira Vida”.
Após a oração do regina Coeli o papa lembrou os cristãos Coptas e enviou uma mensagem para o “caro irmão Tawadros e à comunidade copta ortodoxa no Egipto, que há dois dias foi vítima de mais um ato feroz de violência. As vítimas, entre as quais crianças, são fiéis que se dirigiam a um santuário para rezar, e foram mortos depois de se terem recusado a renegar a sua fé cristã. O Senhor acolha na sua paz estes corajosos testemunhos, e converta o coração dos violentos.” Também não esqueceu das vítimas do atentado de Manchester e pediu que se reze por elas e por suas famílias.
Logo de seguida recordou que hoje se celebra o Dia Mundial das Comunicações Sociais, sobre o tema “Não temas porque eu estou contigo”. E afirmou que os meios de comunicação social possibilitam a partilha e a difusão instantânea da notícia que pode ser “boa ou má, verdadeira ou falsa” e por isso pediu para que se reze para que “a comunicação seja efetivamente construtiva, ao serviço da vida, recusando os preconceitos, e difunda a esperança e a confiança no nosso tempo”.

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter