Papa Francisco explica ritos introdutórios da Missa

| 2017-12-20

O Papa a frisar que com o “Sinal da Cruz” começamos a adorar a Deus

O Papa Francisco, na audiência, desta quarta feira, na Sala Paulo VI, prosseguiu com a sua catequese sobre a importância da Missa e explicou os seus ritos introdutórios.

O Papa recordou que a missa é composta por duas partes: a liturgia da Palavra e a Liturgia Eucarística e com o objetivo de ser claro explicou os ritos introdutórios: a entrada, a saudação, o ato penitencial, o Kyrie eleison, o Glória e a oração chamada Coleta, das intenções de todo o povo de Deus.

O Papa a frisar que com o “Sinal da Cruz” começamos a adorar a Deus, por isso “é importante não chegar atrasado, mas sim com antecedência para preparar o coração”.

E salientou que na procissão de entrada o celebrante chega ao presbitério, saúda o altar com uma inclinação e, em sinal de veneração, beija-o e incensa-o, porque o altar “é sinal de Cristo que oferecendo o seu corpo na cruz, tornou-se Altar, vítima e Sacerdote”. Portanto, “Quando olhamos o altar, vemos onde Cristo está. O altar é Cristo”.

Em seguida, o sacerdote e restantes membros da assembleia fazem o sinal da cruz: “com este sinal, não só recordamos o nosso Batismo, mas afirmamos também que a oração litúrgica se realiza ‘em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo’, desenrola-se no espaço da Santíssima Trindade, que é espaço de comunhão infinita” explicou Francisco. Até porque “toda a oração tem como origem e fim o amor de Deus Uno e Trino que se manifestou e nos foi doado na Cruz de Cristo”. 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter