Papa Francisco recebe delegação da UCP

| 2017-10-26

Missa de Ação de Graças na Igreja de Santa Ana

UCPcores directas

O Papa Francisco recebe, hoje, uma delegação da Universidade Católica Portuguesa, no âmbito do seu 50º aniversário.

Como prenda para o Santo Padre, a comitiva leva a criação de um fundos “Papa Francisco” para ajudar os alunos carenciados, refugiados e migrantes que frequentem a Universidade. A acompanhar segue também uma cruz peitoral, obra da portuguesa Carolina Curado.

Um encontro que está marcado para as 12h00, hora de Roma (menos uma em Lisboa) e surge encaixado na Peregrinação da Universidade Católica Portuguesa a Roma.

Pelas 16h00 terá lugar uma sessão comemorativa na Pontifícia Universidade Gregoriana, cujo reitor é o jesuíta português padre Nuno Gonçalves.

D. Manuel Clemente, cardeal-patriarca de Lisboa e magno chanceler da UCP, sublinha, em declarações à Agência Ecclesia, a ligação da instituição à Santa Sé e aos Papas, recordando a visita de João Paulo II à sede da Universidade Portuguesa, em maio de 1982.

“Ele de alguma maneira, foi o seu criador, no sentido de bênção, de reforço, e agora com o Papa Francisco vamos por diante”, acrescentou.

Na sexta-feira, a Missa de Ação de Graças, pelos 50 anos da Universidade, será celebrada na Igreja de Santa Ana e pelas 18h30 decorre um concerto de Órgão na igreja de Santo António dos Portugueses, em Roma, seguido da receção oferecida pela UCP.

A reitora da UCP considera que o encontro com o Papa é “o momento alto” das celebrações deste aniversário, que vão durar um ano, tendo começado no momento em que se concluíram as comemorações do Centenário das Aparições de Fátima.

“Queremos que seja uma oportunidade de projetar o futuro, o Papa Francisco é um homem que nos interpela a cuidar do que temos e a deixá-lo para as gerações futuras”, assinala Isabel Capeloa Gil.

A responsável fala num compromisso com a “visão integral do mundo” proposta pelo pontífice, procurando que a Universidade seja “um espaço aberto, de diálogo”.

D. Manuel Clemente sublinha, por sua vez, a dimensão universal de qualquer universidade, que “ambiciona o conjunto dos saberes, de uma maneira articulada”

“No caso de ser católica, isso é reforçado pelo espírito ecuménico, que está dentro do próprio Catolicismo. E em Portugal, somos um cais onde toda a gente chega e donde toda a gente parte e volta”, prossegue.

A UCP é reconhecida pelo Estado como “instituição universitária livre, autónoma e de utilidade pública”.

A criação da Universidade Católica data de 1967 e o reconhecimento oficial de 1971.

(Com Agência Ecclesia) 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter