Papa lembra vidas destruídas pela droga

| 2017-09-10

O Santo Padre propôs um “novo recomeço” após o “dilúvio” de conflitos que durou cinco décadas.

Papa Francisco na Colômbia (Foto: Agência Ecclesia)

O Papa Francisco evocou, em Medellín, a “memória dolorosa” das vítimas da droga, apelando à “Conversão” dos traficantes, perante milhares de pessoas presentes, em “La Macarena”, entre as quais se encontravam membros do clero e de institutos religiosos.

Na cidade-símbolo do narcotráfico o Santo Padre propôs um “novo recomeço” após o “dilúvio” de conflitos que durou cinco décadas.

“Convido-vos a lembrar, a acompanhar este cortejo de luto, a pedir perdão para quem destruiu as ilusões de tantos jovens, pedir ao Senhor que converta o seu coração, pedir que acabe esta derrota da humanidade jovem”, apelou.

O Papa começou por recordar os jovens “mortos pelos assassinos contratados da droga”, encerrando esta parte improvisada do discurso com um momento de silêncio.

No encontro que encerrou o quarto dia de visita do Papa Francisco à Colômbia disse que “Cabe-nos ser promessa dum novo início para a Colômbia, que deixa para trás um dilúvio de conflitos e violências, que quer produzir muitos frutos de justiça e paz, de encontro e solidariedade”.

Por isso, pediu mais atenção para com as pessoas oprimidas pela “injustiça, a pobreza indigna, a indiferença ou pela ação perversa da corrução e da violência”.

O encontro contou com a presença das relíquias da Madre Laura, primeira santa colombiana, canonizada por Francisco em maio de 2013.

O pontífice pediu desapego de “interesses materiais” por parte de padres e religiosos, para que não se aproveitem da sua condição para obter benefícios.

E alertou que “O veneno da mentira, da dissimulação, da manipulação e do abuso do povo de Deus, dos mais frágeis e especialmente dos idosos e das crianças não pode ter lugar na nossa comunidade”.

Francisco deixou conselhos para os membros do clero e dos institutos religiosos, da oração à vida com alegria, com votos de “justiça e de paz”.

No final do encontro, o Papa seguiu para o aeroporto de Rionegro, donde regressa a Bogotá, onde foi acolhido diante da Nunciatura Apostólica (embaixada da Santa Sé) por um grupo de consagrados, jovens recém-casados e casais que celebram bodas de prata e de ouro.

(Com Agência Ecclesia)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter