Papa pede às farmacêuticas que garantam os medicamentos para os pobres

| 2017-11-19

A conferência internacional foi promovida pelo Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral

O Papa Francisco, numa mensagem enviada à conferência internacional “Enfrentar a disparidade global em matéria de Saúde” que decorreu no vaticano, apelou às farmacêuticas que garantam o acesso dos pobres aos medicamentos. E defendeu políticas de saúde “económica e eticamente sustentáveis”.

O Papa alertou que enquanto “não se resolverem radicalmente os problemas dos pobres renunciando à autonomia absoluta dos mercados e da especulação financeira, lutando contra as causas estruturais da falta de equidade, não se resolverão os problemas do mundo”.

A conferência internacional foi promovida pelo Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, da Santa Sé, e a Confederação Internacional das Instituições Médicas Católicas (CIISAC), com uma delegação de 12 portugueses, nomeadamente o secretário da Comissão Episcopal de Pastoral Social e Mobilidade Humana, que é também coordenador nacional da Pastoral da Saúde.

Em declarações enviadas à Agência ECCLESIA, o padre José Manuel Pereira de Almeida referiu que esta conferência se realiza em continuidade com as que foram promovidas pela Comissão Pontifícia para a Pastoral da Saúde, beneficiando com o atual tratamento “mais vasto”

“Esta conferência internacional beneficiou muito, em termos de amplitude de horizontes, da inclusão da saúde nas dimensões mais vastas das questões sociais”, afirmou o coordenador nacional da Pastoral da Saúde.

 

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter