Papa pede tempo para verdadeiro descanso em Jesus

| 2017-07-09

Jesus é o Pão da Vida que nos ama e conforta

Papa Francisco na Oração Ângelus

O Papa Francisco, na Oração do Ângelus, deste domingo, apontou para a frase do Evangelho: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei” e lembrou às centenas de fiéis presentes, na praça de São pedro, que o Senhor não “reserva esta frase para  alguém em especial mas para todos aqueles que se sentem cansado e sobrecarregados pela vida e que se questionam sobre o porquê de se sentirem assim”.  Para logo de seguida deixar a certeza de que Jesus conhece “os nossos sentimentos, as nossas desilusões, as nossas angústias, as nossas decepções e as nossas feridas”. E acrescenta, o Papa, que quando nos encontramos, neste estado de espírito, temos por tendência “trazer para o presente os erros do passado e por isso olhamos para o futuro cheios de incertezas e preocupações”.

Perante tudo isto, o Santo Padre diz que a primeira palavra que Jesus nos dirige é: “Vem” em jeito de convite para “nos movermos para nos apercebermos o quanto estamos errados quando olhamos apenas, para as coisas que correm mal!” E adianta que Jesus quer que vejamos “que de facto a vida é difícil, mas que precisamos de reagir e abrirmo-nos à luz da verdade e deixarmos para trás os momentos escuros que, por vezes, a vida nos traz.”.

O Convite

“Não nos podemos fechar, em nós próprios, e ficarmos a pensar em quanto o mundo e os outros são injustos, não nos podemos deixar afundar na tristeza, pois podemos correr o risco de Ela tornar-se na nossa casa permanente”.

Portanto, este convite de Jesus: “Vem” significa que nos quer “tirar desse conjunto de areias movediças que por vezes surgem na nossa vida e convida-nos a segurar na sua mãe e deixarmo-nos guiar por Ele porque é o único que nos pode indicar o verdadeiro caminho da Vida, da felicidade e da alegria”. Mas o Papa Francisco alerta para termos cuidado e “não nos deixarmos iludir com os caminhos mostrados por outros, que até se apresentam como amigos, pois esses caminhos, são apenas para nos distrair e iludir, e para pensarmos que já alcançamos a paz, mas é apenas uma ilusão”. E reforça a ideia que o “único caminho correto é o que Jesus nos indica quando nos chama: ‘vem’, mas para conseguirmos percorrer este caminho temos que nos abrir a Jesus, temos que Lhe entregar a nossa vida e confiar-Lhe o nosso coração e das outras pessoas e as nossas situações de vida”, esclarece o Papa argentino.

A Luz Divina 

O Sumo Pontífice também disse que o objetivo não é que “Jesus resolva, como que por magia, os nossos problemas, mas que n os torne mais fortes para que os possamos enfrentar e resolver. É por isso, que Jesus, não lida com os pesos da Vida, mas sim, com a angústia do nosso Coração.” E adianta que Jesus “tira-nos a Cruz, e deixa que a porta do Coração de transforme em Luz porque Jesus é o descanso que procuramos.”

O santo Padre refere que “quando Jesus entra no nosso coração inscreve em nós a Paz única que nos permite conhecer a Sua Palavra, que nos leva à descoberta da Verdade e, sem medo, partimos à procura do Seu Perdão”. E nessa altura, diz o Papa, “já sabemos que Ele é o Pão da Vida e portanto sentimo-nos amados e confortados por Ele”.

Para consolidar, esta ideia, Francisco lembra as palavras do final do Evangelho de hoje: “Aprendei em mim e achareis descanso para a vida”.

Por fim, o Papa apela à Vigem Maria que nos ajude a não “nos esquecermo-nos de encontrar o verdadeiro descanso no Senhor. Ela que é Mãe, e que sempre cuida de nós quando estamos cansados e oprimidos e que nos acompanha no caminho para e por Jesus”, conclui o Santo Padre.

No final da Oração do Ângelus dirigindo-se aos fiéis presentes, na Praça de São Pedro, saudou cordialmente a todos, e em particular, um fiel polaco que veio de bicicleta e Chelm, arquidiocese de Lublin, na Polónia, em memória de uma grande peregrinação da Family Radio Polish Maria ao Santuário de Czestochowa.

Também deu a Bênção aos servos da Alegria, as irmãs do santíssimo e Imaculada Virgem que começam o seu trabalho do Capítulo Geral, bem como, os sacerdotes de diferentes países participantes no curso de formadores organizado pelo Instituto Sacerdotes de Roma.

O Papa deixou uma saudação especial para os meninos do coro "Puzangalan" - que significa "esperança" - a partir de Taiwan e agradeceu-lhes o cântico.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter