Papa propõe fim da cultura de competição

| 2018-01-05

É preciso promover a cultura do Encontro

O Papa Francisco no discurso que fez perante cerca de 400 professores da Associação Italiana de Professores Católicos disse que é preciso contrariar a “cultura da competição” nas escolas que em seu entender está na origem de fenómenos como o “Bullying”.

No seu discurso Francisco salienta que “A aposta é cooperar para formar jovens abertos e interessados na realidade que os rodeia, capazes de cuidar e da ternura - penso nos ‘bullies’ -, que estão livres do preconceito generalizado, segundo o qual é preciso ser competitivo, agressivo, duro com os outros, especialmente com aqueles que são diferentes, estrangeiros ou que de alguma forma são vistos como um obstáculo à própria afirmação”.

O pontífice lamentou que, muitas vezes, esta cultura de competição seja “o ‘ar’” que as crianças respiram nas escolas, deixando votos de que “possam respirar um ar diferente, mais saudável, mais humano”. E acrescentou que, nesta situação, a “aliança com os pais é muito importante”. Por isso pediu “a cumplicidade” de pais e educadores.

O Papa ainda falou da cultura do Encontro, da aliança entre a escola e a Família e a Educação ecológica Integral.

Francisco alertou para a falta de consistência de propostas de um estilo de vida que “cuide dos animais em extinção, mas ignore os problemas dos idosos” ou “defenda a floresta amazónica, mas se esqueça dos direitos dos trabalhadores a um salário justo”.

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter