Papa reconhece virtudes heroicas de Luiza Andaluz

| 2017-12-20

A Congregação surgiu a 15 de Outubro de 1923

O Papa Francisco autorizou o decreto para o reconhecimento das virtudes heroicas da portuguesa Luiza Andaluz, fundadora da Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima.

A serva de Deus, Luiza Andaluz nasceu a 12 de fevereiro de 1877 em Marvila, Santarém e faleceu em Lisboa a 20 de agosto de 1973.

O processo de canonização foi entregue em Roma no dia 3 de Abril de 2000. Na altura D. José Policarpo, Cardeal-patriarca de Lisboa escreveu que “A proclamação pela Igreja das virtudes heróicas e santidade de vida da Madre Andaluz será uma interpelação para percorrer os caminhos de santidade, no presente e no futuro”.

Consta que de seus pais terá recebido uma “esmerada educação humana e cristã, que seria o alicerce da sua fé e da capacidade de luta pela justiça e pelo bem”, lê-se em nota publica numa página online sobre a Serva de Deus.

Era a terceira filha dos viscondes de Andaluz e sobre si fazia a seguinte descrição: “Sou habitualmente ponderada, afável, generosa, cheia de entusiasmo por tudo que possa dar glória a Deus e promover o bem do próximo.

Sou alegre e expansiva. Impulsiva no falar, não guardo sempre a reserva que devo na apreciação dos defeitos dos outros ou assuntos que a prudência mandaria reservar”.

Aos 14 anos, Luiza Andaluz recebe do Bispo D. José Policarpo a missão de auxiliar as Irmãs Capuchas, em Santarém, na abertura e organização de uma escola, para ensinar crianças pobres e tornar as irmãs mais próximas da população.

Com a Revolução Republicana de 1910, foram expulsas de Portugal, as Ordens Religiosas, os bens da igreja tornaram-se património do Estado, o ensino religioso foi proibido e as escolas e obras católicas foram encerradas. Portanto, a instabilidade política era constante.

Porém, Luiza Andaluz procurava responder como cristã a esta situação, criando e acompanhando escolas em vários locais do país.

E neste contexto, em 1918 recebeu, na sua própria casa, cerca de cem meninas que ficaram órfãs por causa de uma epidemia que vitimou muita gente.

Sem medo a Serva de deus “percorria repetidas vezes todos os bairros, onde lavrava a terrível epidemia, a pneumónica, e ali iam levando socorros materiais e procurado também que tivessem os espirituais”.

É no ano de 1915, Luiza Andaluz percebe em si “um forte chamamento de Deus”, ao participar na tomada de hábito da sua irmã Eugénia no Carmelo em Pamplona.

Luiza vai descobrir no seu caminhar à luz da fé que a sua vocação de contemplativa será vivida numa intensa acção apostólica. E fez então saber: “Só tenho um único desejo: conhecer claramente a vontade de Deus em tudo que empreendo, e ter luzes e forças para a seguir em toda a perfeição de que seja capaz”.

Tendo por base o pensamento de que “não nos quer o Senhor no recolhimento dum claustro, mas quer que, sabendo levar a Deus connosco, nós o distribuamos aos que têm fome e sede de justiça”, Luiza Andaluz pensou fundar uma Congregação para responder às necessidades de evangelização e dar continuidade às obras sociais de educação e promoção humana.

A Congregação surgiu a 15 de Outubro de 1923, com a primeira comunidade que se reuniu na sua própria casa em Santarém. Quanto à forma de vestir dizia a Serva que “Sem hábito nem claustro, nós com a ajuda de Deus, e porque Ele o quer, vamos investir todas as nossas forças para levar Jesus às pessoas e para levar as pessoas a Jesus”. E acrescentava que “Parecia-me que não seria fácil usarmos hábitos para melhor passarmos despercebidas. Então compreendi que não importa a forma de vestir, o que importa é fazer tudo na graça de Deus”.

As outras virtudes heroicas

Na audiência realizada, a 18 de dezembro, com o prefeito da Congregação das Causas dos Santos, card. Angelo Amato, o Papa autorizou a Congregação a promulgar outros decretos:

- o milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus João Batista Fouque, Sacerdote diocesano nascido na França em 12 de setembro 1851 e falecido em 5 de dezembro de 1926;

- o milagre atribuído à intercessão do Venerável Servo de Deus Tibúrcio Arnáiz Muñoz, Sacerdote professo da Companhia de Jesus, Fundador das Missionárias das Doutrinas Rurais; nascido em 11 de agosto de 1865 na Espanha e falecido em 18 de julho de 1926;

- o milagre atribuído à intercessão da Venerável Serva de Deus Maria Carmen Rendiles Martínez, Fundadora do Instituto das Servas de Jesus da  Venezuela; nascida em Caracas em 11 de agosto de 1903 e falecida em 9 de maio de 1977;

- o martírio dos Servos de Deus Teodoro Illera Del Olmo, Sacerdote professo da Congregação de São Pedro in Vincoli, e 15 companheiros, assassinados por ódio à fé durante a perseguição religiosa na Espanha em 1936 e em 1937;

- as virtudes heroicas do Servo de Deus Stefano Wyszyński, cardeal da Santa Romana Igreja, arcebispo Metropolita de Gniezno e Varsóvia, Primaz da Polônia; nascido na cidade polonesa de Zuzela em 3 de agosto de 1901 e falecido em Varsóvia em 28 de maio de 1981;

- as virtudes heroicas do Servo de Deus Alfonso Barzana, Sacerdote professo da Companhia de Jesus; nascido em 1530 em Belinchón (Espanha) e morto em Cuzco (Peru) em 31 de dezembro de 1597;

- as virtudes heroicas do Servo de Deus Paulo Smolikowski, Sacerdote professo da Congregação da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo; nascido em 4 de fevereiro de 1849 em Tver (Rússia) e falecido em Cracóvia (Polônia) em 11de  setembro de 1926;

- as virtudes heroicas do Servo de Deus Patrício Peyton, Sacerdote professo da Congregação da Santa Cruz; nascido em 9 de janeiro de 1909 a Carracastle (Irlanda) e morto em San Pedro (Estados Unidos) em 3 de junho de 1992;

- as virtudes heroicas da Serva de Deus Maria Ana de São José, Fundadora dos Mosteiros das Irmãs Agostinianas Recoletas; nascida em Alba de Tormes (Espanha) em 5 de agosto de 1568 e falecida em Madri em 15 de abril de 1638;

- as virtudes heroicas da Serva de Deus Anna del Salvatore, Irmã professa da Congregação das Irmãs Filhas de Sant’Anna; nascida na Itália em 22 de fevereiro de 1842 e morta em Palermo em 7 de junho de 1885;

- as virtudes heroicas da Serva de Deus Maria Antonia Samá, Leiga; nascida na Itália em 2 de março de 1875 e falecida em 27 de maio de 1953.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter