“Partilhar a Viagem” para promover a “Cultura do Encontro”

| 2017-09-27

Os migrantes e refugiados são o sinal de “uma Igreja eu procura ser aberta, inclusiva e acolhedora”.

“Partilhar a Viagem” é o tema da Campanha Global da Caritas Internationalis “Partilhar a Viagem” que o Papa Francisco lançou hoje durante a audiência geral de quarta feira. O objetivo é promover o encontro entre comunidades locais e aqueles que são migrantes e refugiados.

O Papa recordou que é o “O próprio Cristo que nos pede que acolhamos os nossos irmãos e irmãs migrantes e refugiados com os braços bem abertos. Acolher”.

O Santo Padre estava “feliz” por acolher os representantes da Cáritas e deu “as boas-vindas aos migrantes, requerentes de asilo e refugiados, juntamente com os trabalhadores da Cáritas Italiana e de outras organizações católicas”.

Papa também referiu que estas pessoas são sinal de “uma Igreja eu procura ser aberta, inclusiva e acolhedora”.

O Santo padre deixou o desejo que os católicos levem aos migrantes e refugiados “um abraço sincero, um abraço afetuoso, um abraço envolvente”.

O pontífice deu as boas-vindas a representantes de organizações da sociedade civil empenhadas na assistência aos migrantes e refugiados, que apoiaram a Cáritas na recolha de assinaturas em favor de uma nova lei migratória, na Itália, "mais adequada ao contexto atual".

O Papa sublinhou que é a esperança que leva todos a “partilhar a viagem da vida”, sem medo.

“A esperança é a virtude do pobre, do camponês, do trabalhador e do emigrante que se coloca a caminho, procurando um futuro melhor, bem como a de quem está aberto ao acolhimento, ao diálogo e ao conhecimento mútuo”, declarou.

“Obrigado a todos vós pelo vosso incansável serviço”, acrescentou, pedindo um “grande aplauso” para os promotores da campanha.

Neste contexto, apresentou a Colunata da Praça de São Pedro como um símbolo da "Igreja mãe que abraça todos na partilha da viagem comum”.

“Partilhar a Viagem” é uma campanha que decorrerá nos próximos dois anos para promover o apelo do Papa Francisco de promover a “cultura do encontro” com o objectivo de constituir comunidades mais fortes.

Nesse sentido a Caritas Internationalis mobiliza todas as organizações Cáritas nacionais, em 160 países, para que abracem a causa da migração, desmitifiquem preconceitos e promovam a aproximação dos migrantes às comunidades locais.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter