Reitor do Senhor Santo Cristo dos Milagres defende criação de roteiro sobre santuários insulares

| 2018-01-11

O sítio online ‘Igreja Açores’ contabiliza que no arquipélago existem cinco santuários

Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres

O reitor do Santuário do Senhor Santo Cristo dos Milagres, na Diocese de Angra, afirma que a “dinâmica festiva” nas ilhas dos Açores é favorável à criação de um itinerário que congregue os cinco santuários diocesanos.

“Os nossos santuários têm muitas potencialidades mas terão muitas mais se houver uma ação concertada de todos”, disse à Agência Ecclesia o padre Adriano Borges, à margem do Encontro Nacional de Reitores dos Santuários Portugueses, que decorreu em Fátima.

O sacerdote que desde há dois anos lidera o maior santuário açoriano e considera que uma das prioridades é devolver aos santuários a noção de lugar de peregrinação e de oração.

O sítio online ‘Igreja Açores’ contabiliza que no arquipélago existem cinco santuários: Santo Cristo dos Milagres, em Ponta Delgada; Serreta e Conceição na Terceira; Bom Jesus no Pico e Santo Cristo da Caldeira, em São Jorge.

“Infelizmente”, acrescenta o padre Adriano Borges, dois santuários são paróquia e os seus reitores párocos, por isso, “só assumem a reitoria quando se realiza a festa”.

“Isso levanta problemas até para os próprios peregrinos e o que prevalece para os fieis é a vida da paróquia e não do Santuário”, assinalou.

Para o padre Adriano Borges é “necessário revitalizar” a noção de santuário e construírem, de acordo com orientações diocesanas, “um programa especifico” para todos os peregrinos dando a “dignidade e o estatuto que merecem”.

Ao sítio informativo diocesano, o reitor do Santuário do Senhor Bom Jesus do Pico sublinhou também que “era importante que os reitores se reunissem”.

“Há um ano que definimos que o tema da festa seria o mesmo e temos vindo a trabalhar nesse sentido. Poderíamos alargar este primeiro passo a outros santuários”, recordou o padre Marco Martinho.

A festa no Santuário do Senhor Bom Jesus do Pico celebra-se anualmente a 6 de agosto e o seu reitor realçou que os santuários são “lugares de peregrinação, de encontro, de oração e de misericórdia”.

“A partir desta matriz comum devemos pensar em estratégias comuns”, referiu o sacerdote ao ‘Igreja Açores’, assinalando que os santuários também promovem o “encontro com Deus e com o irmão”, através do Sacramento da Reconciliação (Confissão).

(Agência Ecclesia) 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter