Santuário de Fátima inicia novo Ano Pastoral

| 2017-11-30

Novo ciclo pós centenário propõe itinerário de três anos

 

O Santuário de Fátima inaugura o novo ano pastoral no dia 2 de dezembro, com uma jornada de abertura que se realizará no salão do Bom Pastor, no centro Pastoral de Paulo VI, entre as 15h00 e as 17h00.

A jornada de abertura do novo Ano Pastoral contará com as participações do Padre Carlos Cabecinhas, reitor do Santuário de Fátima, no inicio e a intervenção do bispo da diocese de Leiria-Fátima, D. António Marto, no final. Durante a sessão haverá, ainda, três momentos a registar: a apresentação do tema do ano, pelo professor da Universidade Católica José Rui Teixeira, seguindo-se um apontamento musical pela Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima, sob a direção da maestrina Paula Pereira e finalmente a apresentação do nº 8 da revista Cultural Fátima XXI, pelo Diretor do Serviço de Estudos e Difusão, Marco Daniel Duarte.

Este tempo que agora se abre foi olhado pelo Santuário de Fátima no horizonte de um triénio e o itinerário delineado propõe-se, precisamente, prolongar e aprofundar o Centenário das Aparições e promover a consolidação dos dinamismos criados, propiciadores de tão bons frutos, sob a égide do reconhecimento do dom recebido e do compromisso pelo seu acolhimento.

Concluído o Centenário e um itinerário de sete anos, o Santuário abre agora um novo Ciclo de três anos, intitulado genericamente como “Tempo de Graça e misericórdia”, que sugere para cada ano um tema especifico.

O primeiro, no qual agora entramos, viver-se-á sob o tema “Tempo de graça e misericórdia: dar graças pelo dom de Fátima”, sublinhando a consciência do dom recebido, iniciativa gratuita e amorosa de Deus. O segundo, 2018-2019, percorrer-se-á à luz de “Tempo de graça e misericórdia: dar graças por peregrinar em Igreja”, evocando a dimensão eclesial deste dom à Igreja e à humanidade, para a Igreja e para o mundo. Finalmente, o ano de 2019-2020, entonado pela vocação à santidade, dom e tarefa, será designado por “Tempo de graça e misericórdia: dar graças por viver em Deus”.

Com este percurso o Santuário deseja fazer memória dos momentos de graça que pautam a centenária história do acontecimento de Fátima, procurando avivar a consciência do dom que este acontecimento é para a contemporaneidade.

Ao triénio associam-se  também determinados acontecimentos que, mesmo se assinalados nas datas próprias, oferecem o contexto transversal aos três anos pastorais: a restauração da Diocese de Leiria, ocorrida em 17 de janeiro de 1918; a morte de Francisco Marto, em 4 de abril de 1919; a edificação da Capelinha das Aparições, nos meses primaveris de 1919; a morte de Jacinta Marto, em 20 de fevereiro de 1920; a construção da escultura de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, neste mesmo ano; e, ainda em 1920, o início do labor pastoral de D. José Alves Correia da Silva como bispo de Leiria.

(fatima.pt)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter