Escuteiros consternados com fogos

| 2017-10-18

Corpo Nacional de Escutas solidário

Os escuteiros portugueses estão “consternados” com a nova tragédia que se abateu sobre o país, após os incêndios de domingo, 15 de outubro que provocaram 42 mortos e em comunicado enviado à Agência Ecclesia dizem estar associados  “à dor e ao luto” afirmam que a instituição juvenil faz “parte da prevenção e da educação”.

O Corpo Nacional de Escutas ainda garante que “Os escuteiros católicos portugueses juntam às suas orações o mais profundo pesar e a maior solidariedade possível para com as vítimas e as suas famílias”

No mesmo documento realçam que o “compromisso claro de cidadania” dos escuteiros, como aliados da natureza e do seu cuidado, “estende-se à prevenção e limpeza das florestas”, ao ensino e “prática dos mais elementares princípios de respeito e preservação”.

Neste contexto, o CNE compromete-se “ativamente”, através da sua proposta educativa, na urgente «mudança de mentalidade e hábitos sociais» que foi pedida pela Conferência Episcopal Portuguesa na Nota Pastoral ‘Cuidar da casa comum – prevenir e evitar os incêndios’.

O CNE está também “solidário e preocupado” com os seus mais próximos elementos cujo património foi devastado e, neste contexto, associa-se aos centros escutistas de Serpins, Coimbra, e da Palhaça e ao Agrupamento 852 de Ponte de Vagos, em Aveiro.

 

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter