Maria João Bahia em audiência privada com o Papa

| 2017-05-03

Uma coleção composta por 13 peças

A designer Maria João Bahia tem, hoje, numa audiência privada, com o Papa Francisco, no Vaticano, em Roma. E irá oferecer ao Santo Padre, o Resplendor, uma peça que para si pretende “simboliza o brilho da união entre todos nós aos olhos de Deus”.

Esta manhã, em entrevista no Matinais, na Angelus TV, Maria João Bahia, falou desta peça e da emoção que este encontro lhe está a causar.

Um encontro que surge por intermédio da Embaixada Portuguesa, e no âmbito das Comemorações do Centenário das Aparições e tendo por base a coleção “Celebrar Fátima”. Uma coleção composta por 13 peças onde o ouro e a prata estão em destaque.

A artista explica, que no centro do Resplendor está uma Cruz Symballein, feita em chapas irregulares de prata, “que simboliza a humanidade com todas as suas imperfeições. Nas nossas imperfeições está a busca pela perfeição, pela aceitação, pelo amor, pela união e pela paz. A imperfeição natural é a beleza da singularidade, da individualidade de cada um de nós”.

Depois as três pérolas simbolizam os três pastorinhos que “acolheram e viveram a presença de Deus nas suas vidas por meio de Maria”. As cinco chapas, em ouro, são os símbolos Ichthys, Cruz de Portugal, a Anunciação do Nascimento do Menino Jesus, a Estrela dos Apóstolos e Nossa Senhora. No centro da cruz, Maria João Bahia colocou também uma caixa em ouro, que guarda uma folha de Azinheira, em homenagem à árvore onde Nossa Senhora apareceu.

O cálice, cheio de terra de Fátima, que assenta numa base de prata e que na parte superior, apresenta uma bobeche em prata que suporta a vela branca, “símbolo de vida!”. Quando acesa, “simboliza a presença de Deus em todos nós”, remata a designer. Na parte de trás desta peça a autora gravou a inscrição “Centenário de Fátima”, em homenagem à celebração das Aparições de Fátima.

 

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter