Papa recebe religiões da paz

| 2017-10-20

Um diálogo comum pela paz

O Papa Francisco recebeu, em audiência, privada, cerca de 80 elementos da Conferência Mundial das Religiões pela Paz

No discurso proferido o Papa referiu que “A paz é uma tarefa urgente também no mundo de hoje, no qual muitas populações são dilaceradas por guerras e violências”.

Mas realçou que a “A paz é dom divino e conquista humana. Por isso, os crentes de todas as religiões são chamados a invocá-la e a interceder por ela; e todos os homens de boa vontade, especialmente quantos desempenham cargos de responsabilidade, são chamados a trabalhar por ela, com o coração, a mente e as mãos, porque a paz se constrói de modo artesanal. Nesta obra, paz e justiça são construídas juntas”, salientou Francisco.

O Santo Padre ainda afirmou que na construção da paz, as religiões, “com os seus recursos espirituais e morais, desempenham um papel particular e insubstituível. Elas não podem ter um comportamento neutro e muito menos ambíguo em relação à paz”.

Também disse que quem “pratica a violência ou justifica-a em nome da religião ofende gravemente a Deus, que é paz e fonte de paz, e imprimiu no ser humano um reflexo da sua sabedoria, poder e beleza”.

O Papa agradeceu o serviço que prestam em prol da paz ao promoverem “a justiça, a fraternidade, o desarmamento e o cuidado da criação”.

O Sumo Pontífice ainda apontou a Bíblia como um instrumento muito importante neste caminho porque “leva-nos ao olhar do Criador, com  o qual contemplou a sua Obra e viu que tudo era bom”.

 

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter