Pedrogão Grande terá inquérito final

| 2017-06-23

Conselho de ministros de 5ªf dia 22 de junho dedicado aos incêndios

Conselho de Ministros 22-06-2017

O primeiro-ministro, António Costa, disse na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros de 5ªf, 22 de junho, dedicado aos incêndios florestais, que se vai realizar "um inquérito final", quando o incêndio de Pedrógão Grande terminar, e que é "essencial apurar cabalmente tudo o que aconteceu", referiu. Costa realçou que "é essencial apurar cabalmente tudo o que aconteceu, as suas causas e consequências", tendo para tal o governo já tomada a iniciativa de questionar o Instituto Português do Mar e da Atmosfera, a GNR e Autoridade Nacional de Proteção Civil. O primeiro ministro informou que a ministra da Administração Interna já determinou ao investigador da Universidade de Coimbra e especialista em incêndios florestais, Domingos Xavier Viegas um estudo sobre as condições específicas do incêndio que deflagrou no sábado em Pedrogão Grande. António Costa disse ainda que Portugal vai utilizar a disponibilidade manifestada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura para fazer uma avaliação independente. O incêndio de Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos. O chefe do governo comunicou por outro lado que todos os mecanismos de apoio dos ministérios estão ativados e disponíveis nos concelhos de Pedrógão Grande, Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, os mais afetados pelos incêndios dos últimos dias, e que é prioritário reconstruir os concelhos mais afetados pelo fogo. Disse que esta é a altura para ser feita a "reforma há muito adiada da floresta", mas ressalvou que não produzirá resultados "num mês, num ano ou em dois anos".Costa transmitiu ainda "total abertura e disponibilidade para apoiar qualquer proposta de comissão técnica independente que venha a ser criada por iniciativa" parlamentar, como pediu o PSD. O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, defendeu a necessidade de uma comissão técnica independente começar a trabalhar "tão depressa quanto possível" para dar "todas as explicações" aos portugueses sobre a tragédia. PS e CDS-PP já manifestaram disponibilidade para apoiar a criação da comissão técnica independente sugerida pelo PSD para apurar as causas do trágico incêndio de Pedrógão Grande, enquanto BE e PCP questionam, para já, a necessidade de tal iniciativa.

Lusa/ MM

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter