União das Misericórdias recuperou quatro habitações na região centro

| 2017-08-11

Foram reconstruídas quatro casas afetadas pelo incêndio de Pedrógrão Grande um grupo de 61 outras, atribuídas à União, Fundação Gulbenkian, Fundo Revita, entre outros.

foto rtp

A União das Misericórdias Portuguesas já reconstruiu quatro casas afetadas pelo incêndio que deflagrou em Pedrógrão Grande, a 17 de junho. Segundo a União à Agência ECCLESIA, as quatro habitações recuperadas, pertencem ao grupo de 61 que foram atribuídas na parceria conjunta da UMP com a Fundação Calouste Gulbenkian, em articulação com o Fundo Revita, autarquias e outros parceiros. O processo de atribuição das habitações para reconstruir ainda está em curso, e o número de imóveis a recuperar poderá aumentar. Os fundos solidários angariados dão prioridade à recuperação de habitações permanentes e depois ao fomento do emprego. Avança a UMP, que continua a mobilizar especialistas de saúde, “como psicólogos, médicos e enfermeiros”, para darem resposta às necessidades da população afetada pelo incêndio, num apoio à Administração Regional de Saúde Centro. Foi angariado cerca de 1 milhão e 800 mil euros, sendo “grande parte” deste valor proveniente do concerto solidário ‘Juntos por Todos’, de 27 de junho. Os incêndios que afetaram esta região fizeram 64 vítimas mortais, mais de 200 feridos, afetando perto de 500 casas e mais de 43 mil hectares de floresta. Para “continuar a apoiar as famílias e evitar a duplicação de apoios”, a UMP explica que, juntamente com a Fundação Calouste Gulbenkian, está a trabalhar em “estreita articulação” com o Fundo Revita, os serviços da Segurança Social, a Autoridade Nacional de Proteção Civil e as Câmaras Municipais e Misericórdias de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Góis, Pampilhosa da Serra, Sertã e Penela

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter