Basílica de Nossa Senhora do Rosário acolhe XI Encontro de Coros Infantis do Santuário de Fátima

| 2019-04-17

Iniciativa está agendada para o próximo dia 25 de abril, pelas 15h30, com entrada livre

A Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima acolhe, no próximo dia 25 de abril, a partir das 15h30, o XI Encontro de Coros Infantis, com a participação da Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima, os Jovens Cantores de Guimarães e o Coro Juvenil da Universidade de Lisboa.

Inserida no programa pastoral 2018-2019, com o tema “Dar graças por peregrinar em Igreja”, esta iniciativa pretende promover e valorizar a prática musical religiosa de crianças e jovens, através de uma dinâmica de intercâmbio e enriquecimento de experiências e conhecimentos, com outras formações corais, diferentes realidades e modelos de trabalho.

Este concerto e todo o seu formato, foi pensado pelas maestrinas dos coros participantes, e visa retratar e honrar a realidade do Santuário de Fátima e dos muitos peregrinos que rezam neste lugar. Está concebido em forma de tríptico – a Fé, o Amor e a Esperança.

A peça inicial – «Past Life Melodies» – inspirada no canto aborígene da Austrália, “é um hino à força da oração, da súplica, sem fronteiras geográficas ou de credos”, explicam as maestrinas. O «Ave Maria de Pentecostes» seguido de «Regina Caeli», “espelha, em pleno Tempo Pascal, a universalidade da mensagem de Fátima e os sons orantes que ecoam diariamente no Santuário de Fátima”.

A segunda parte deste concerto é dedicada ao Amor e à ação que a ele conduz. «Salve Regina» e «Nigra Sum» (peça escrita em 1943 para a Senhora de Montserrat) fazem a ligação à Virgem Maria e ao seu exemplo de plena dádiva de amor.

A terceira parte, dedicada à Esperança, inicia com «Balada de Outono», peça que remete para sentimentos de “tristeza, de desalento”. Neste momento os coros darão voz, em conjunto, o que acontece novamente na peça «Spring The Sweet Spring», de Esenvalds numa homenagem aos Santos Pastorinhos e ao amor que, em particular, São Francisco Marto nutria pela Natureza. O concerto termina com «Ave de Fátima», cantado pelos coros e pelo público, num ato único de amor confiante e de louvor.

Os intérpretes desta tarde musical serão a Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima, com Inês Costa e Rita Ferreira, na flauta transversal, Sílvio Vicente, no órgão e piano, com Paula Pereira, na direção; os Jovens Cantores de Guimarães, com Ana Margarida Coelho, ao piano e Janete Costa Ruiz, na direção; o Coro Juvenil da Universidade de Lisboa, com João Lucena e Vale, ao piano e Érica Mandillo, na direção.

A Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima, atualmente constituída por 28 crianças e jovens, teve o seu início em Outubro de 2003. É um coro amador sem qualquer formação musical que inicialmente foi constituído para animar a Peregrinação Nacional das Crianças a 10 de Junho. Presentemente, anima celebrações na programação regular do Santuário e tem participado em concertos, com repertório muito diversificado, tendo-se já apresentado na Casa da Música (Porto) e Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra). A Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima foi dirigida por Paulo Lameiro até setembro de 2016 e é dirigida desde então por Paula Pereira.

Paula Pereira possui os Cursos de Direção Coral e Órgão pela Escola Diocesana de Música Sacra de Lisboa e o Curso de Direção Coral pelo Serviço Nacional de Música Sacra. Frequenta a Licenciatura em Música na Comunidade pela Escola Superior de Educação de Lisboa e pela Escola Superior de Música de Lisboa onde, em contexto de estágio, tem desenvolvido projetos musicais direcionados a crianças surdas ou a pessoas com Alzheimer e outras demências. No Santuário de Fátima é cantora solista e maestrina da Schola Cantorum Pastorinhos de Fátima.

Os Jovens Cantores de Guimarães, sediados na Sociedade Musical de Guimarães/Conservatório de Guimarães, são um projeto de educação artística com extensão à comunidade que proporciona a jovens entre os 8 e os 18 anos a vivência da música coral como veículo de aprendizagem musical e de expressão artística. Os JCG alicerçam o seu projeto artístico num conjunto de práticas pedagógicas que aliam o canto, o movimento e a dramaturgia e na abordagem de um repertório musical eclético, centrado na música contemporânea para coro infantil, na música étnica e nos autores portugueses.

Janete Costa Ruiz é diplomada em Canto pela Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo. Desde 2005, dedica-se à prática coral infantil, com particular interesse na abordagem à composição contemporânea para coros infantis e na introdução do movimento como estratégia globalizante do trabalho coral e veículo de desenvolvimento artístico e expansão dos horizontes musicais. É fundadora e diretora artística dos Jovens Cantores de Guimarães desde 2011. É professora convidada na Universidade do Minho. Leciona no Conservatório de Guimarães.

O Coro Infanto-Juvenil da Universidade de Lisboa consiste numa estrutura que engloba cento e quarenta crianças e jovens, entre os 6 e os 18 anos, subdividida em quatro grupos distintos: Atelier, Coro Preparatório, Coro Infantil e Coro Juvenil. O Atelier é constituído por quarenta crianças entre os 6 e os 8 anos, em dois grupos separados, que recebem uma primeira formação musical, vocal e de expressão teatral, atuando apenas em conjunto com as outras estruturas e muito pontualmente, dentro da Universidade de Lisboa. O Coro Preparatório é constituído por quarenta e cinco crianças entre os 8 e os 11 anos que recebem formação para eventualmente ingressarem no Coro Infantil. O Coro Infantil é constituído por trinta e cinco crianças entre os 10 e os 14 anos com elevado grau de desenvolvimento musical e teatral. Na sua grande maioria são «recrutados» a partir do Coro Preparatório. O Coro Juvenil é constituído por trinta e cinco jovens dos 13 aos 18 anos com elevado grau de desenvolvimento musical e teatral, na sua totalidade «recrutados» a partir do Coro Infantil.

Erica Mandillo é mestre em Biofísica pela Faculdade de Ciência de Lisboa, estudou piano e realizou o Curso de Canto do Conservatório de Lisboa. No âmbito do seu trabalho com o CIUL, tem desenvolvido um intenso trabalho na área da encenação de ópera e direção musical, nomeadamente com crianças e jovens tendo apresentado trabalhos em salas como o Grande Auditório da Gulbenkian, CCB, Teatro da Trindade, Teatro Municipal de Almada, Teatro Virgínia, Centro Cultural Vila Flor (entre muitos outros). Tem realizado diversos workshops para professores de música e directores corais acerca de novas técnicas de trabalho coral com crianças e jovens (Casa da Música - Porto). Em 2008, foi convidada a orientar as Actividades Artísticas do Colégio de São José em Lisboa (2º ciclo), tendo em 2009 fundado o Coro de Câmara das Oficinas de São José. Já em 2012, integrou o corpo docente do Conservatório Nacional de Música de Lisboa, sendo responsável por uma classe de Coro e Expressão Corporal.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter