Autoridades chinesas demoliram edifício paroquial de Qianyang

| 2019-04-12

A comunidade paroquial é composta por cerca de duas mil pessoas

O edifício da paróquia de Qianyang foi demolido pelas autoridades locais, no dia 4 de Abril, sem que tivesse sido dada qualquer explicação para o sucedido.

A demolição do edifício, que foi objecto de registo vídeo, impossibilita agora que a comunidade cristã possa continuar a reunir-se e inviabiliza também a continuação do trabalho que algumas religiosas vinham a realizar junto das populações locais mais necessitadas.

A comunidade paroquial é composta por cerca de duas mil pessoas e, segundo a agência Asia News, “não são conhecidas” ainda as razões que levaram as autoridades a destruírem o edifício.

No prédio, de dois andares, além da área reservada para o culto funcionava um posto médico onde algumas irmãs “faziam consultas” e forneciam “remédios para a população local” que, segundo caracteriza a agência de notícias Asia News, “é muito pobre”.

O edifício paroquial foi construído com ofertas de outras comunidades da diocese de Fengxiang, liderada desde 2017 por D. Pedro Li Huiyan, de 54 anos, que não pertence à chamada Associação Patriótica, controlada pelo governo de Pequim.

A demolição do edifício paroquial poderá ser visto como fazendo parte de uma estratégia de intimidação das comunidades cristãs que se mantêm fora do controlo das autoridades comunistas.

(PA/Departamento de Informação da Fundação AIS)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter