Comissão Laicado e Família diz que “Valor da vida não se questiona”

| 2019-05-14

O Valor da Vida ultrapassa todos os excessos verbais, porque escapa até mesmo à imensa criatividade do homem.

A Comissão Laicado e Família tendo por base a realização da 26ª edição da Semana da Vida até domingo, 19 de maio, elaborou um guião para que seja mais fácil vivenciar esta semana.

Na introdução do documento a Comissão do laicado e Família adianta que “O Valor da Vida não se questiona” e adianta que “Até mesmo nos momentos mais violentos e mais dramáticos, esteve sempre em causa a defesa da Vida de um alguém, isolado ou coletivo”.

Motivo pelo qual, “O Valor da Vida não se adjetiva”. Até porque “Não há palavras que descrevam o valor da vida de cada um, para cada um. O Valor da Vida ultrapassa toda a beleza, porque o conceito de beleza é tão pessoal, tão evolutivo, tão perene”, lê-se no documento.

É ainda referido que “O Valor da Vida ultrapassa todos os excessos verbais, porque escapa até mesmo à imensa criatividade do homem. Faltam as palavras, quando queremos definir o valor da Vida”.

Para a Comissão Laicado e Família “O Valor da Vida não se circunscreve no tempo” porque “tem um passado, repleto de vidas que nos trouxeram ao nosso presente, que geram outras vidas, vidas essas que projetam o futuro. Na vida de cada um, há o mistério de um passado e o mistério de um futuro, que se constrói na verdade do presente”.

É ainda salientado que “O Valor da Vida como que cresce à sombra de árvores frondosas, com troncos sólidos e robustos”. Na verdade, “Se pensarmos nestas árvores frondosas, como famílias, com gente de carne e osso, percebemos melhor como pode o Valor da Vida crescer no seio de uma Família. Famílias, onde há folhas tão diferentes, umas frágeis outras robustas; onde há galhos que se esgalham e outros que são lançados por uma brisa ou um vendaval; onde há ramos que se partem e outros que resistem a todas as tempestades. E no tronco, corre a seiva, que a todos alimenta, que é vital. O tronco onde se encostam cansaços, onde se sussurram memórias, palavras de amor, histórias antigas da Família. À sombra de uma Família, todos cabem, todos crescem, todos vivem. À sombra de uma Família, há passado e presente e futuro. À sombra de

uma Família, o vento sopra, a chuva parte ramos e galhos, pode até despi--la de todas as folhas, mas está lá, pronta a viver longos Invernos e a renascer em cada Primavera; pronta a mostrar a beleza das folhas caídas no Outono e a suportar o sol implacável de cada Verão”, escreve ainda a Comissão Laicado e Família.

Portanto “Se pensarmos que a Igreja é esta Família, onde todos têm o seu lugar, não precisamos de procurar palavras, nem de enumerar grandes questões, não nos afligimos com o tempo que passa, inquietos com o futuro, melancólicos com o passado, acabando por deixar passar o presente, como nos passa a areia pelas mãos, em praias repletas ou em desertos vazios”.

Na verdade, segundo a Comissão “Precisamos de voltar à beleza do que nos rodeia, para entendermos a Vida, para a defendermos com toda a alma, para nos empenharmos na construção do mundo que Deus nos entregou; capazes de tanto que somos, seremos também capazes de entender que a defesa da Vida passa claramente, pela defesa da Família e, de um modo tão atual e pertinente, pela atenção aos mais novos”.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter