D. António Tagle diz que “Maria mostra-nos o caminho para encontrar a verdadeira Bênção”

| 2019-05-13

Para o Arcebispo de Manila “a maternidade de Maria foi um ato de Fé e por isso tonou-se completa a Bênção de Deus, para o seu povo

O Arcebispo de Manila, nas Filipinas, D. Luis Antonio Tagle é o presidente da Peregrinação Internacional Aniversária de Maio, no Santuário de Fátima e na Homilia deste 13 de maio, num recinto de oração, repleto de peregrinos disse que “Maria mostra-nos o caminho para encontrar a Verdadeira Bênção”.

E acrescenta que no mundo de hoje, temos a noção errada do que é uma “vida abençoada” porque está assente no materialismo, ou seja, em “muito dinheiro, o último modelo de roupas, carros, perfumes e aparelhos eletrónicos, fama, influência, segurança. Estes não são desejos maus, mas Maria, nossa Mãe, faz-nos parar e fazer uma autoavaliação.

Será que a fé ainda tem um lugar importante no nosso desejo de uma vida boa? Consideramo-nos abençoados quando abdicamos dos nossos planos, como Maria e José, para que a vontade de Deus se possa concretizar? Será que os pais alimentam os seus filhos não apenas com comida, medicamentos e formação, mas também com a Palavra de Deus, os Sacramentos e o serviço aos pobres? Será que os pais assumem com seriedade a responsabilidade de educar os seus filhos na fé? Será que os pais e os mais velhos dão bom exemplo às crianças e aos jovens em como viver a fé nas decisões e ações da vida quotidiana?”.

Para de seguida deixar a certeza de que “Como modelo e exemplo da Igreja, a nossa Santíssima Mãe ensina toda a Igreja a encontrar o caminho da verdadeira bênção”.

Tendo por base, o tema desta peregrinação anual, retirado da Primeira Carta de Pedro “Sois o povo de Deus”. O cardeal referiu que “Somos, de facto, povo de Deus, reunidos pelo Espírito Santo, alimentados pela Palavra do Senhor, pela Eucaristia e pela Missão Comum”.

Para o Arcebispo de Manila “a maternidade de Maria foi um ato de Fé e por isso tonou-se completa a Bênção de Deus, para o seu povo. E esclarece que “ao aceitar o convite de Deus para ser a mãe do Filho de Deus. Maria tornou-se mãe pela fé, do mesmo modo que José se tornou pai de Jesus pela fé e pela obediência. Maria foi a serva obediente cuja total entrega e disponibilidade a Deus fez dela a Mãe do Filho de Deus. A sua resposta ao Anjo Gabriel retrata essa bênção: “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Deus abençoou Maria escolhendo-a entre muitas mulheres para conceber o Filho de Deus. A resposta de fé que Maria deu à palavra de Deus, pondo em prática essa fé, tornou completa a bênção de Deus. Ela é a mãe de Jesus na fé e na carne”.

Assim sendo, D. Antonio Tagle alertou, os peregrinos presentes na Cova da Iria, de que “O nosso chamamento é a Bênção de Deus“ a fim de “completar a bênção do chamamento de Deus, escutemos a palavra de Deus e ponhamos a Sua vontade em prática. Deste modo, o legado que deixaremos não será apenas sucesso, conquistas, estabilidade financeira e boa reputação, mas deixaremos como legado a pessoa de Jesus, a Sua palavra, a Sua presença, o Seu amor pelos abandonados e pelos que sofrem, a Sua solidariedade com os famintos, os sedentos, os despidos, os sem-abrigo, os estrangeiros e os prisioneiros.

Mesmo enfrentando dificuldades e perseguições, seremos como a Mulher do Livro do Apocalipse, resplandecente de gló ria porque cuidou do seu Filho. Não há maior bênção do que ser chamado por Deus a servir Jesus, a fazer Jesus conhecido, amado e servido. Isto só acontecerá se, como Maria, estivermos atentos à Palavra de Deus, se recebermos Jesus na nossa vida e se vivermos como Jesus viveu.

O Bispo D. Antonio Tagle a deixar como missão aos peregrinos de Fátima, serem mensageiros de Paz e do Evangelho, deixando claro que a maior Bênção, de cada um, é ser chamado a Servir Jesus.

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter