Formação inicial dos catequistas quer promover «Encontro com Cristo»

| 2019-04-15

A Formação Inicial «Ser Catequista» vai ter 20 horas e seis temas numa abordagem mais catecumenal e menos escolar. A apresentação do novo plano de formação ocorreu no Encontro Nacional de Catequistas que decorreu em Viana do Castelo e foi feita pelo padre Tiago Neto, diretor do Setor da Catequese do Patriarcado de Lisboa.

O novo curso pretende “a articulação entre a fé e a vida do catequista” procurando ir ao encontro da “Gaudium et Spes que acentua a dimensão do sujeito e a sua resposta à fé e à revelação divina”.

“A grande questão da formação de agentes catequéticos passa por se conseguir uma articulação entre a fé e a vida em contraponto ao distanciamento criado durante séculos entre as duas realidades”.

Deste modo a Formação Inicial «Ser Catequista» fundamenta-se “num modelo querigmático” que pretende ajudar “a transformação da pessoa em Cristo”.

“Esta articulação entre a fé e a vida, é o problema central da evangelização dos últimos 100 anos. A dimensão querigmática é essencial por que ajuda a pessoa a passar de uma vida meramente humana para uma cristificação”.

Para que tal seja possível o padre Tiago Neto sustentou que a formação «Ser Catequista» procura “pôr a pessoa perante si mesma, diante da sua realidade e numa dinâmica de liberdade em resposta à vocação a que é chamada”.

“Esta é uma proposta que pretende estar numa dinâmica progressiva de formação em que a pessoa entra numa dinâmica catecumenal. Pretende-se que o catequista atinja um certo grau de maturidade apostólica”, apontou.

“Queremos primeiramente que a pessoa faça a adesão a Jesus Cristo muito mais do que ter soluções e recursos para a catequese”, concluiu o responsável.

A nova formação surgiu de “um pedido da Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé a um grupo de catequistas” de várias dioceses portuguesas e foi elaborado “tendo por base o anterior curso de iniciação que foi adaptado a uma nova matriz e orientação”, revelou o responsável.

O novo curso «Ser Catequista» parte do Diretório Geral da Catequese, documento que acentua as seis tarefas, para viver e integrar na vida dos nossos catequizandos.

“Ajudar os catequistas a fazerem esta relação entre os pilares do catecismo da Igreja Católica e as tarefas da catequese que passam pela educação litúrgica, formação moral, conhecimento da fé, a prática da oração, a iniciação à missão e o compromisso comunitário”.

Partes do curso já foram testados com grupos de catequistas em Santarém e Lisboa.

“A catequese do século XXI passa pela existência de agentes que se deixaram encantar e moldar por Jesus e levam outros ao encontro”, sustentou.

(Educris)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter