Papa evoca memória de Edith Stein, «mártir do seu povo judeu e cristão»

| 2018-08-09

Festa litúrgica de S. Teresa Benedita da Cruz, padroeira da Europa, celebra-se a 9 de agosto

Edith Stein

O Papa recordou hoje no Vaticano a memória de Edith Stein, Santa Teresa Benedita da Cruz, padroeira da Europa, que se celebra a 9 de agosto.

Francisco falou numa “mártir do seu povo judeu e cristão”, uma mulher de “coerência” que procurou Deus “com amor”

“Que ela, padroeira da Europa, reze e guarde a Europa, do Céu”, concluiu, falando perante cerca de 7 mil pessoas reunidas no auditório Paulo VI, para a audiência pública semanal.

Edith Stein, filha de pais judeus, nasceu a dia 12 de outubro de 1891; converteu-se à Igreja Católica e foi batizada 1 de janeiro de 1922, tendo professado votos religiosos na Ordem das Carmelitas Descalças em 1933, com o nome Teresa Benedita da Cruz.

Deixaria a Alemanha por causa da perseguição aos judeus, fugindo para a Holanda, onde seria presa pelas forças nazis e enviada para o campo de concentração de Westerbork e depois para Auschwitz, com a sua irmã Rosa.

A religiosa seria morta a 9 de agosto de 1942, sendo considerada “mártir” pela Igreja Católica; foi beatificada por João Paulo II a 1 de maio de 1987 e no ano de 1998 foi canonizada pelo mesmo Papa, que em 1999 a declarou co-padroeira da Europa.

“Doravante, ao celebrarmos a memória da nova Santa, não poderemos deixar de recordar todos os anos também o Shoah, aquele atroz plano de eliminação de um povo que custou a vida a milhões de irmãos e irmãs judeus. Que o Senhor faça brilhar o seu rosto sobre eles, concedendo-lhes a paz”, disse São João Paulo II, na homilia da cerimónia de canonização.

(Agência Ecclesia/OC)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter