Semana Santa «não pode ser apenas calendário», diz cardeal-patriarca

| 2019-04-15

D. Manuel Clemente pede que celebrações destes dias sejam vividas com «novidade evangélica»

O cardeal-patriarca de Lisboa, D. Manuel Clemente presidiu à Missa de Ramos, na Sé de Lisboa, e disse que a Semana Santa “não pode ser apenas o calendário”, mas implica “novidade evangélica”, por parte dos crentes.

“A Liturgia católica preenche estes dias com sinais expressivos dos acontecimentos celebrados. Tão expressivos e até vistosos que, aqui e ali, se tornam apelo turístico, com encenação e reclame… É natural que assim seja, mas será pena se for isso só. Não chega e redobra-nos o cuidado com possíveis distrações”, assinalou D. Manuel Clemente, na homilia da celebração, enviada à Agência ECCLESIA.

A intervenção destacou que os momentos centrais do calendário católico não procuram “distrair os sentidos, mas de converter as vidas”.

“Deus quis viver connosco na Páscoa de Jesus. Na sua paixão, que redime a paixão do mundo. A nossa própria, do que passamos e os outros padecem, longe ou perto – e muito perto até”, precisou.

Partindo da narrativa evangélica da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, pouco antes do seu julgamento e condenação à morte, o cardeal-patriarca afirmou que Cristo “teve razão para se dececionar com multidões desencontradas, entre hossanas e apupos”.

É assim que Jesus Cristo continua a entrar na cidade e na nossa vida. Como Messias humilde, que vence porque convence. Somos seus discípulos quando O reconhecemos e aclamamos deste modo, apenas deste modo, com a mesma humildade e verdade, no dia-a-dia em que nos chega”.

D. Manuel Clemente questionou os presentes sobre a sua relação com Jesus, desejando que esta Páscoa seja tempo de “franca conversão”.

“Vivamos estes dias como surpresa de Deus. Facilidades ou dificuldades vivamo-las com Cristo, que as viveu connosco, antes de nós e por nós. Podemos até desconfiar do que prevemos, por ser demasiado nosso. Para confiarmos plenamente na vontade de Deus, vitoriosa sempre, como o foi na Cruz”, apelou.

No dia que a Igreja Católica dedica à juventude, nas dioceses de todo o mundo, D. Manuel Clemente deslocou-se, ao final da tarde, à Paróquia do Parque das Nações, para um encontro com jovens.

“Isto não vai lá com espectadores”, disse, no último dia da Visita Pastoral à Vigararia (conjunto de paróquias) Lisboa II.

(Agência Ecclesia/OC)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter