Cenáculo: um espaço de liberdade de jovens para jovens

| 2019-03-13

Este documento, assinado por todos os presentes, é sinal do seu compromisso de serem agentes da mudança na região e em todo o movimento escutista.

Muito antes da participação jovem ter entrado no discurso e nas preocupações de muitas organizações, já o CNE dera um passo largo com a criação do Cenáculo. Esta atividade, um fórum de discussão de caminheiros (escuteiros dos 18 aos 22 anos), foi criada há quase 20 anos, primeiro a nível nacional, e depois a nível regional.

Na região escutista de Leiria-Fátima já se contam 10 ciclos, sendo que o último se realizou nos passados dias 8, 9 e 10 de março, em Vale Travesso, Ourém.

Neste que é um dos Cenáculos Regionais mais participados do país (presentes cerca de 50% do efetivo regional), discutiu-se o Escutismo no Século XXI: o seu comprometimento com questões de sustentabilidade, a sua perspetiva perante a questão das comunidades LGBTI, o desafio e a motivação dos caminheiros.

Sob o imaginário do filme “Moana”, com o lema “Tu decides para onde remar”, os caminheiros tiveram oportunidade de escutar diversos oradores e, enriquecidos por tais intervenções, elaboraram uma série de propostas que constituíram a Carta de Cenáculo.

Este documento, assinado por todos os presentes, é sinal do seu compromisso de serem agentes da mudança na região e em todo o movimento escutista.

Esta que é uma atividade feita por e para caminheiros, só é assegurada graças ao esforço daqueles que se dedicam sem nada receber em troca. Aos que aos últimos 10 ciclos do Cenáculo Regional se dedicaram e aos que voluntariaram para assegurar o próximo, um grande obrigado.

Segundo nota da SRCI: Participaram 140 elementos, correspondendo a cerca de 50% do efetivo regional de caminheiros, vindos dos Concelhos de Alcanena, Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós.

(Texto e fotos de Luís Tavares)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter