Projeto «Famílias comVida» para o acolhimento, orientação e acompanhamento familiar

| 2019-02-07

Patriarcado, Cáritas Diocesana e Instituto das Ciências da Família da UCP desenvolvem um serviço «sempre na tónica de famílias que acompanham outras famílias»

O Patriarcado de Lisboa tem em ação o projeto ‘Famílias co Vida’ dedicado ao “acolhimento, orientação e acompanhamento” de famílias, desenvolvido em parceira com a Cáritas diocesana e o Instituto das Ciências da Família da Universidade Católica Portuguesa (UCP).

“É preciso ir cultivando a mentalidade para que as famílias não fiquem à espera que o problema chegue ao fim de linha, mas procurem alguém que caminhe com elas e ajude a viver a sua vocação matrimonial e familiar”, disse o diretor do Setor da Pastoral Familiar do Patriarcado de Lisboa.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, o padre Rui Pedro Carvalho explicou que o projeto se destina a “todas as famílias” que, por exemplo, procuram “crescer na relação”, na educação dos filhos, sendo uma espécie de “loja do cidadão” que encaminha para as diversas respostas que existem na diocese.

O Projeto «Famílias comVida» surge em parceria com a Cáritas Diocesana de Lisboa e o Instituto das Ciências da Família da UCP.

A coordenadora-geral da Cáritas de Lisboa explica que a instituição “acompanha muitas famílias” e vai percebendo que, para além “da intervenção em momentos de crise”, é preciso e faz parte da sua missão “agir ainda a montante dos problemas”.

“Tentarmos respostas que permitam atuar antes dos problemas se manifestarem e tentar fortalecer e ajudar a vencer desafios”, afirmou Ana Catarina Calado, realçando que “só fazia sentido” se se juntassem “com quem trabalhasse com as famílias”.

Já Helena Rebelo Pinto, coordenadora do Instituto das Ciências da Família, referiu que era útil estarem envolvidos “na preparação e administração de formação específica” das pessoas que vão integrar o projeto ‘Famílias com Vida’.

“A boa vontade não é suficiente sobretudo pelas especificidades que os problemas familiares têm: as mudanças que assistimos, grandes processos de adaptação, exigem conhecimento aprofundado”, acrescenta a psicóloga

O primeiro ponto de acolhimento ‘Famílias comVida’ foi inaugurado formalmente na Paróquia do Parque das Nações, 8 de novembro 2018, e, atualmente, está a decorrer a segunda edição da ação formação destes agentes pastorais, que é certificada.

Segundo Ana Catarina Calado, perceberam ao longo do tempo que “era importante estes formandos terem conhecimento certificado”, porque “não é possível fazer isto com amadorismo”.

Já a coordenadora do Instituto das Ciências da Família da UCP realça que os grupos “não vão substituir-se aos técnicos especializados”, mas vão fazer acolhimento das famílias, os “seus pares” e “ajudar as famílias a crescer e resolver problemas” através da experiência enriquecida com formação especializada.

Helena Rebelo Pinto destacou também a importância de um trabalho que “deve ser feito pelo bem-estar das pessoas nas suas próprias comunidades”, uma vez que a família é um “dos seus núcleos fundamentais”.

A rede de recursos do Patriarcado de Lisboa é constituída por assistentes sociais, psicólogos, juristas, terapeutas da família, orientadores familiares, que fazem parte da equipa de intervenção para onde podem ser encaminhadas as famílias na procura de respostas.

“Sempre na tónica de famílias que acompanham outras famílias”, assinala o diretor do Setor da Pastoral Familiar, realçando que o “objetivo” do projeto ‘Famílias comVida’ “é chegar a todos os lugares da diocese”, e, naturalmente, que as pessoas de outras dioceses que “quiserem ser ajudadas são bem-vindas”.

(Agência Ecclesia/PR/CB)

Partilhe esta notícia

Subscreva a nossa newsletter